Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Observar os gatos

Resultado de imagem para observar os gatos

 

Já pararam por momentos tudo aquilo que estavam a fazer para, simplesmente, observar os vossos gatos?

Não apenas ver, mas observar com atenção. Observar a forma como dormem, a forma como confiam em nós, a forma como se alimentam, como eles próprios observam o mundo lá fora.

Observar os seus tiques próprios, manias, personalidade. A forma como brincam, como correm, ou como ficam atentos a algo.

Se já o fizeram, sabem o quão maravilhoso pode ser, tentar compreender, mesmo não compreendendo por vezes nada, e entrar por instantes no seu mundo, visto com os nossos olhos!

 

Quando encontramos um gato na rua constipado

Já aqui disse que há muitos gatos na minha rua. Esses gatos já tiveram um abrigo improvisado, mas depois esse abrigo deu lugar a uma obra e eles foram desalojados. No entanto, há uma senhora que tem uma moradia e que lhe dá comida e abrigo. Também eu já dei alguma ração para ajudar.

gatoatchin1.jpg

Ontem quando estava a chegar do trabalho, vi que  muitos deles estavam a apanhar sol na rua, aproximei-me para fazer festinhas, mas eles são muito ariscos e fogem logo. No entanto, estava lá um pretinho, que estava tão ranhoso, tão ranhoso, que me deixou cheia de pena. Eu nunca tinha visto nada assim, não fazia ideia que os gatos pudessem ficar assim.... Era um gatinho ainda jovem. A tal senhora já lhes dá comida e abrigo, mas certamente não os pode levar ao veterinário. Mas aquele gatinho precisa de cuidados.


Gostava de ajudar, andei a pesquisar e encontrei num site que devemos limpar os olhos e o nariz deles com compressas esterilizadas e soro fisiológico, usando uma compressa pra cada olho e uma terceira pro  nariz. Também aconselham a vacinação, o estar num sitio quentinho, e outros cuidados com a alimentação, mas um gato de rua, é difícil. Além disso, o gato não se deixa apanhar, e se a senhora me vê a tentar pode levar a mal, já que ela é que os tem a seu cargo...

 

Agora estou com aquele sentimento de que podia fazer alguma coisas, mas, se calhar não posso mesmo fazer nada. Fica-me na cabeça aqueles olhinhos como que a pedirem ajuda...

Ontem foi dia de consulta

Ontem decidimos levar as duas meninas a fazer uma visita ao veterinário.

Mal peguei nas transportadoras, para lhes passar um pano e tirar o pó, já se estavam as duas a enfiar lá dentro :) Só não gostam muito de ir de carro, fechadas. Mas adoram estar nas transportadoras.

Chegados ao gabinete, a Amora portou-se bem. A Becas, pela primeira vez, bufou!

 

 

Foto de Becas e Amora.

A Becas está uma gatona saudável, com 4,400 kg (tinha 3,650 kg em setembro passado) - nas palavras do veterinário, com um pelo lindíssimo e parecida com um lince! Apesar do nosso receio de que estivesse a comer demais, o médico diz que ela está bem assim, e só se continuar a aumentar em demasia é que será caso para começarmos a controlar a alimentação dela.

 

 

Foto de Becas e Amora.

Sobre a Amora, e dada a sua situação especial, tudo o que já passou e o que ainda ontem descobrimos - que ela não tem praticamente dentição, e os dentes que tem estão partidos, na opinião do médico "é uma sorte ela ainda estar entre nós, e da forma como está". Feitas as análises, estão todos os valores em ordem, e vai ser esterilizada na próxima sexta-feira.
Não podíamos adiar mais esta decisão, mesmo sabendo dos riscos que ela corre.
A verdade é que, tal como suspeitava, a Amora não só não engordou nada, como ainda emagreceu, desde setembro passado - passou dos 2,900 kg para os 2,650 kg.
A continuar com cios contínuos, iria continuar a emagrecer.
Assim, até pode ser que não piore a situação da incontinência, que comece a engordar (embora com o problema dela o crescimento e o peso sejam condicionados) e, na melhor das hipóteses, que melhore a incontinência.

Tomámos a decisão que achámos ser a melhor. Espero que se venha a revelar a mais acertada...

Feliz dia mundial do gato para todos os gatos

haptcatday.jpg

Aqui estão alguns gatinhos do clube para desejar um feliz dia do gato a todos os gatos. Peço desculpa por faltarem muitos deles...

 

O gato é tão amado que não tem apenas uma data de celebração, pois além do dia 8 de agosto, também a  17 de fevereiro  se celebra o dia mundial do gato, fruto de uma iniciativa de uma organização italiana de defesa aos animais, para proteger os gatos de perseguições e para promover as adoções de felinos.

O nosso grande dilema sobre a Amora

Foto de Becas e Amora.

 

O veterinário deu-nos, na altura, a sua opinião:

 

"Não aconselho a esterilização da Amora, tendo ela este problema da incontinência, e sem antes percebermos o que lhe está a causar o mesmo. Arriscam-se a esterilizar, e a piorar o quadro, tornando a incontinência permanente, com tudo o que isso acarreta e como afectará a qualidade de vida da Amora, e dos próprios donos."

 

Mais, deu a entender que o hospital não estaria muito receptivo a proceder à cirurgia, dado o risco de que a incontinência venha a agravar.

E, quando questionado sobre as desvantagens de não esterilizar, respondeu-nos que, desde que ela não tivesse cios muito intensos, que a afectassem ao ponto de deixar de comer, por exemplo, não haveria grande problema, a não ser o risco de vir a desenvolver, a longo prazo, tumores que a esterilização ajuda a prevenir.

 

Viemos assim, para casa, convencidos de que estaríamos a fazer o melhor.

No entanto, os cios da Amora são cada vez mais frequentes e, nessas alturas, ela pouco dorme, anda alterada e agitada, até mais agressiva, e alimenta-se menos, claro.

Se formos pesá-la neste momento, deve estar com o mesmo peso de há meses atrás. Pega-se nela, e parece uma pluma.

Apesar de ser uma forma de atrair a atenção dos machos, é difícil ouvir a toda a hora aqueles miados altíssimos e graves que faz. É difícil vê-la em cima de nós a simular o acasalamento, ou vê-la esfregar-se no chão, para satisfazer os seus desejos.

 

E, depois pensamos - e se a esterilizarmos? Será que não era melhor, do que ela estar assim constantemente? Quem nos garante que ela irá mesmo piorar a incontinência? Até pode ficar como está agora. É apenas um risco, não é uma certeza. E, quem sabe, não melhora?

 

De qualquer forma, depois de frustrado o tratamento experimental, o que temos realmente a perder? A verdade é que os exames, para se tentar descobrir com certeza o problema que tem, são caríssimos, e demasiado invasivos. Nunca os poderemos fazer, e também não queremos transformá-la numa cobaia, sempre enfiada em clínicas e hospitais.

 

Por isso, só nos restam duas opções:

- ou arriscamos a esterilização, que vai acabar com este sofrimento cada vez mais frequente dos cios, e que poderá levar a que tudo o resto se mantenha, havendo sempre o risco de agravar a incontinência,

 

- ou deixamo-nos estar quietos, e não sei até que ponto ela irá aguentar estes cios consecutivos, sem sequelas

 

Mas a hipótese da esterilização ganha cada vez mais força... 

  • Blogs Portugal

  • BP