Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Chegou através da Tiendanimal

raçao.JPG papinhanova.JPG

O Riscas estás prestes a iniciar uma nova fase na alimentação. Como sabem , ele tem a particularidade de perder pelo na zona da barriga e patitas. Decidi então dar-lhe uma ração mais apropriada, a ração superpremium para gatos Breed Up Adult Salmão com salmão da Tiendanimal. O ingrediente principal, o salmão, faz com que esta seja uma comida adequada para os gatos adultos de estômago sensível ou com o pelo em más condições. Está à venda aqui.

raçao1.JPG

Para complementar a ração, vou também adicionar-lhe um óleo de salmão da Noruega. Uma garrafinha que vem com um spray. Serve para colocar na ração pulverizando. Eu diria que é semelhante ao azeite que os humanos usam para temperar a comida. Também foi adquirida na Tiendanimal aqui. Para já ele gostou, pois até se lambeu...

oleo.JPG

E por fim, e para concluir uma coisa que eles tanto gostam. Costumo comparar ao efeito que tem para uma criança humana,  uma guloseima. Mais uma vez um artigo que está relacionado com o pelo.  Graças à sua receita incluir suaves propriedades laxantes que o tornam adequado para ajudar a eliminar as bolas de pelo que tanto afetam a saúde digestiva e alimentar dos gatos, assim como facilitar o trânsito intestinal no geral, tanto em cães como em gatos.

malta.JPG

Com estas três novidades, este gato vai ficar ainda mais convencido,  importante e principalmente saudável. Tudo graças à Tiendanimal! Obrigada!

 

 

Aprendendo com a psicologia felina

Os felinos são venerados e admirados por grandes culturas. Napoleão trouxe-os do Egito com a finalidade de acabar com os ratos e outros pequenos animais portadores de doenças infecciosas. Desde então, se tornaram esses silenciosos companheiros de olhar sobrenatural e extrema astúcia, com os quais temos muito a aprender… Como já dizia Albert Einstein: “Não tenho grandes talentos, mas sim uma profunda curiosidade”.

 

  1. A curiosidade matou gato

Absolutamente…A curiosidade é o traço que nos faz crescer como seres vivos, ampliando nosso saber e explorando as opções e caminhos baseados em nossas próprias necessidades. Não é comum encontrar um gato medroso, que não goste de observar através da janela… Se olharmos nosso mundo com temor, ou deixarmos de experimentar certas coisas com medo das consequências, esse pequeno caçador que temos dentro de nós deixará abrir todas as portas que, de vez em quando, são oferecidas pela vida. É preciso se atrever a explorar com o sigilo e a astúcia de um felino, e saber que as consequências, às vezes, podem trazer grandes descobrimentos consigo.

 

  1. Pequenos negociadores

Os gatos não se submetem, eles negociam… Eles nos aceitam, caso os aceitemos. Simples assim. É difícil conseguir o seu carinho caso façamos ameaças ou agressões, ou até mesmo através de ordens expressas. Os felinos requerem uma certa dose de paciência pincelada de compreensão e um universo de carinho… Uma vez criado esse vínculo, sua fidelidade será absoluta. O trato com o gato é uma simples metáfora de respeito e tolerância que os seres humanos deveriam levar em consideração, já que estamos frequentemente envolvidos em nossos mundinhos particulares, cheios de pressa e competitividade.

 

  1. Sentido de oportunidade

Outra caraterística destes seres é, sem dúvida, sua habilidade para ir atrás daquilo que desejam; são pacientes, meticulosos e sabem como avaliar os riscos, para que eles fiquem a seu favor. Todos nós temos oportunidades no transcorrer de nossas vidas, mas com o principal fator é, sem dúvida, saber conhecê-las e implementar todas as capacidades e instrumentos para poder alcança-las.

Se analisarmos um pouco o que nos fez perder esse “momento”, do tal teríamos beneficiado, seja por falta de iniciativa ou por não ter reconhecido a oportunidade, frequentemente surge o medo como explicação para tal perda. É importante, então, estar atento e acordado, mantendo sempre preparadas nossas melhores armas, e essa confiança felina, com a qual devemos agarrar de todas as formas em busca do prémio.

 

  1. Estilo de vida: serenidade

Os felinos são ávidos caçadores que conhecem muito bem o momento apropriado para o descanso. Toda a meta requer uma dose de energia, que devemos saber como canalizar da melhor maneira, para não sofrer sobrecargas. É aí que admiramos nossos felinos…. Porque os gatos “exalam” tanta tranquilidade? Quando descansam, o fazem da maneira mais absoluta e parece que nunca desperdiçam suas forças inutilmente…

 

O gato vive por si só. É, sem dúvida, umas das criaturas mais especiais com as quais podemos aprender um pouco a cada dia.

Uma missão diferente

Resultado de imagem para Mohammad Alaa Aljaleel 

 

A guerra civil na Síria tem levado várias pessoas a abandonar as suas casas e partir para destinos mais seguros. Muitas delas, deixaram para trás os seus animais de estimação, nomeadamente, os gatos.

No entanto, há uma pessoa que se recusa a sair do país, e que já tomou a seu cargo uma missão diferente e especial - cuidar desses gatos abandonados!

 

 

Resultado de imagem para Mohammad Alaa Aljaleel

Chama-se Mohammad Alaa Aljaleel. Era electricista, mas agora conduz ambulâncias em Aleppo, resgatando não só pessoas necessitadas, como animais. 

 

 

Resultado de imagem para Mohammad Alaa Aljaleel

Mohammad afirma que já resgatou mais de cem gatos abandonados, e confessa que alguns donos optam por deixar os seus gatos com ele, porque conhecem a sua paixão pelos felinos que são, agora, os seus grandes amigos. 

 

Podem saber mais AQUI e AQUI

 

Também acham o mesmo?

IMG_3161.JPG

Cerca de 1 em cada 3 donos de gatos acreditam que o seu gato consegue ler a sua mente.

E há estudos que indicam que os gatos são animais sensíveis aos estados emocionais dos seus donos.

Será verdade? O que vos parece?

 

 

 

IMG_3160.JPG

E os donos, será que conseguem ler a mente dos seus bichanos, e distinguir os seus estados de espírito?

Porque as más notícias nunca vêem sós

IMG_3102.JPG

Acabámos de receber mais uma: foi descoberta uma bactéria na urina da Amora que, provavelmente, é a causadora da incontinência urinária dela. E vai ter que tomar antibiótico.

 

As análises básicas tinham indicado valores normais. O médico disse que, por norma, estando aquelas normais, o mais provável era a cultura de urina também vir normal. Mas que era melhor esperar para ver. O resultado não foi o esperado. E lá vamos nós ter que tratar das duas, em vez de uma.

 

O que é uma cultura de urina?

É um teste que se faz, após recolha da urina do gato, que demora cerca de uma semana, e permite ao veterinário saber se existem bactérias presentes, em caso afirmativo, exactamente que tipo de bactéria é, e qual o melhor antibiótico para a combater.

Este exame só é possível se se conseguir uma grande amostra de urina, e se o gato não apresentar sintomas que exijam um tratamento imediato, caso contrário, não dá para fazer.

É por isso que, quando tenho episódios de infecções urinárias, não posso fazer algo do género. Porque era impensável eu estar mais de uma semana sem tomar nada, à espera dos resultados para só então actuar.

E é um teste dispendioso. Posso-vos dizer que, juntamente com a outra análise à urina, pagámos mais de 50 euros.

 

Acabado o antibiótico, terá provavelmente que fazer novas análises, para ver se a bactéria foi eliminada. Se sim, tudo indica que a Amora pode ser esterilizada. Se não, temos que recorrer à ecografia abdominal. 

O que uma pessoa não faz pelos seus filhos de quatro patas!

Lembram-se deste cão?

IMG_2461.JPG

Do qual falei aqui uma vez por causa do espaço reduzido em que se encontrava, durante dias a fio?

Ao que parece, o mesmo devia estar numa espécie de quarentena, ou período de adaptação. Segundo me disseram, a senhora da casa costuma albergar alguns cães que encontra. Já tinha dois ou três no outro quintal, e este permanecia aqui. 

Entretanto, uns dias depois, mudaram-no para junto dos outros. Pelo menos, penso que já o vi lá, embora não apareça muito.

Agora, está outro no seu lugar.

 

IMG_3159.JPG

 

E tem um ar tão simpático como o primeiro!

Passo por ali, e só me apetece fazer-lhe festinhas, como faço com a Tiquinha, a caminho do trabalho. Mas se com os gatos me estico, com os cães tenho receio. Por isso, apenas falo com ele. 

Body ou colar isabelino?

IMG_3158.JPG

 

Segundo a Becas, body não, de certeza!

E ela até vinha bonita, com o seu body azul (pelo menos não lhe vestiram o rosa, o que ela agradece!).

Na verdade, eu achava que o body era uma excelente opção pós-cirurgia, para evitar que ela andasse a querer arrancar o penso, e lamber a zona afectada. Ficava mais protegida e aconchegada.

Mas com a Becas, foi um pesadelo!

 

Fomos buscá-la ontem à noite, após ter alta médica. Tem que tomar antibiótico durante 7/8 dias. Com a Tica, este foi logo administrado no consultório, e não tivemos que nos preocupar. Tem que tomar anti-inflamatório durante 4 dias. Com a Tica não sei se foi preciso, mas penso que não. E tinha que usar o boby também durante 7 dias.

Estava muito quietinha na transportadora, mas era normal. Colocámos a transportadora no quarto, e deixámos que ela saísse quando assim entendesse. Dali a pouco aparece ela a rebolar pelo chão, muito atrapalhada. A Becas não conseguia andar com o body. Parecia um robot. Não quis beber água, não quis comer. Ficava muito parada, e se a largássemos, caía.

Colocámo-la em cima da cama da minha filha. Ia dormindo aos bocadinhos, mas desconfortável, com o coração acelerado e o corpo todo a tremer. Não queria estar tapada. Ligámos ao veterinário.

É muito estranho termos trazido uma Tica para casa que arrancou logo o colar e o penso, e agia como se não tivesse passado por uma cirurgia, e ver a Becas neste estado apático e estranho. O médico disse que era normal, mas que se continuasse a tremer ou fechasse os olhos, como se perdesse os sentidos, para a levarmos ao hospital.

Esperámos mais um bocado. Desapertei um bocadinho o fecho do body, porque parecia que estava muito apertado, e ela ficou melhor. Dormiu durante algum tempo. Entretanto, os tremores voltaram, e voltámos a ligar para o hospital. E só então nos disseram para experimentar tirar o body. Assim fizemos, e a Becas voltou a ser a mesma de sempre, já normal! Ou seja, todo aquele estado foi provocado pelo body, que alguns animais, simplesmente, não toleram!  

 

 

IMG_2437.JPG

Mas ficámos com outro problema! Não usando body, a primeira coisa que faria era arrancar o penso. Sugeriram, caso ela não quisesse o body, irmos ao hospital substitui-lo pelo colar isabelino. O que é certo é que a Tica também nunca o suportou, e conseguia arrancá-lo sempre, até porque é desconfortável para comer e dormir.

Tínhamos uma noite pela frente. Ainda vestimos novamente o body, mas tirámos logo a seguir. Dormiu sem nada, a lá para o meio da noite deve ter tirado o penso. Mas voltou a ser a nossa Becas!

 

Agora é ver se isto passa que a Amora ontem nem conhecia a amiga e só rosnava para ela. E a Becas, em contrapartida, bufava. Hoje, parece que já vai tudo voltando à normalidade. 

Volta à consulta no final da semana e, entretanto, vamos começar a fazer a transicção para a nova alimentação.

  • Blogs Portugal

  • BP

  • Pág. 1/7