Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Cuidado com os golpes de calor

 

O verão está aí e, com ele, as temperaturas elevadas que, muitas vezes, nos fazem querer passar o dia debaixo de água, e com bebidas frescas à mão!

Com os animais não é muito diferente. 

Ao contrário de nós, que transpiramos por todo o corpo, os gatos e cães perdem apenas algum calor por transpiração, através das almofadas plantares e, em pequena percentagem, através da pele exposta nas orelhas.

Num golpe de calor, os mecanismos de termorregulação dos animais não são suficientemente eficazes para baixar a temperatura corporal dos animais.

Alguns animais são mais sensíveis a esta situação, como as raças braquicefálicas (com focinho achatado), animais obesos, geriátricos e muito jovens.

 

 

 

 

Sinais

Para perceber se estamos perante sintomas de golpe de calor, existem alguns sinais que nos podem elucidar:

 

– Respiração ofegante

– Salivação excessiva

– Pele seca e quente

– Batimentos cardíacos acelerados

– Agitação/ ansiedade

– Não responde aos estímulos do dono

 

À medida que a situação progride, podem ocorrer vómitos, diarreia, descoordenação, ou tremores. O colapso, convulsões e o coma surgem na recta final.

 

 

 

 

O que fazer

Em primeiro lugar convém medir a temperatura dos animais.

Se estes tiverem uma temperatura elevada, e apresentarem os sintomas atrás referidos, a primeira coisa a fazer é pulverizá-los com água à temperatura ambiente. Nunca devemos utilizar água muito fria ou gelo porque isso irá provocar um arrefecimento demasiado rápido, dando origem a outras complicações.

Em seguida devemos levá-los ao veterinário, evitando colocá-los dentro de transportadoras, e mantendo os vidros abertos para circulçação do ar ou, em alternativa, o ar condicionado ligado. Nunca se deve utilizar toalhas molhadas porque dificultam a dissipação do calor.

Aplicar um pouco de álcool nas patas do animal também pode ser uma boa solução.

 

 

 

 

Prevenção

Para ajudar os nossos animais a suportar melhor as temperaturas altas do verão, convém:

– Ter sempre disponível água limpa e fresca
– Manter circulação de ar ou ventilação nos locais onde deixa o seu animal de estimação 
– Manter sempre o acesso às sombras nos locais de descanso
– Nunca deixar o animal sozinho no carro ao sol, mesmo que com os vidros parcialmente abertos, porque o interior do veiculo pode atingir uma temperatura elevadíssima

- Durante a viagem manter as janelas abertas para o ar circular ou manter o ar condicionado ligado, e ter o cuidado de parar, no mínimo, de 2 em 2 horas para oferecer um pouco de água fresca

– Não prender o animal ao sol
– Não o exercitar nas horas de maior calor

 

Se seguirmos estas recomendações evitamos riscos desnecessários para os nossos amigos de quatro patas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • Blogs Portugal

  • BP