Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Os gatos não voam!

 

Bom dia, o Clube deseja uma boa segunda-feira e uma óptima semana!

 

Encontrei um artigo na organização encontra-me. org, muito importante para ajudar a proteger os nossos gatinhos, que acho importante partilhar, todo o cuidado é pouco!

 

Ao contrário da crença comum, os gatos não se atiram de janelas ou varandas. Não, eles não são suicidas. Não, eles não saltam porque estão entediados ou porque não têm noção da altura a que estão. Simplesmente, eles caem. Eles caem e, por muita agilidade que tenham, estão longe de saber voar. Cabe-nos a nós tomar medidas para prevenir quedas e as suas graves consequências.

Os gatos gostam de observar o mundo que os rodeia e, como tal, o parapeito de uma janela ou de uma varanda ou de um terraço costuma ser um local favorito. Contudo, estes locais são perigo na certa. Qualquer barulho alto ou repentino (um aspirador, a campainha, uma mota, foguetes, gritos de crianças) ou qualquer situação inesperada (um gesto mais brusco da nossa parte ou alguém que entra repentinamente na divisão) pode ser o suficiente para os assustar e fazê-los cair. Mas também podem desequilibrar-se ao tentar apanhar um insecto ou pássaro, ao saltar para o parapeito ou ao aventurar-se para espreitar a varanda do vizinho.


Numa queda, o gato pode ter a raríssima sorte de ter o impacto amortecido por uma lona, mas também pode ter o azar de ir embatendo noutras superfícies no decorrer da queda. E, apesar de os gatos terem a extraordinária capacidade de sobreviver a quedas, são poucas as vezes em que escapam ilesos. Além do trauma psicológicomais que certo, as possíveis consequências de uma queda incluem diversos tipos de fracturas(nos membros, no palato/céu da boca, nos dentes, na mandíbula, nas costelas), traumatismo torácico ou craniano, contusões pulmonares, pneumotórax, ruptura da bexiga ou ainda hemorragias internas. Mesmo que o gato não sofra ferimentos com a queda, fica assustado e desorientado num ambiente hostil e existe sempre o sério risco de não vir a ser encontrado.

Dada a potencial gravidade das lesões e o risco de desaparecimento ou morte (não considerando sequer os custos associados a uma cirurgia ortopédica ou outros tratamentos), devem ser tomadas todas as medidas necessárias para evitar quedas. A regra de ouro é que gatos jamais devem ter acesso a janelas abertas ou varandas (infelizmente, um erro muito comum é colocar o WC numa varanda desprotegida). Supervisão apenas não é suficiente, pois bastam segundos para uma sequência de eventos dar origem a uma queda. Por isso, e também para precaver distracções ou esquecimentos, a melhor opção é aplicar grelhas ou redes de protecção. Dessa forma, o seu gato fica protegido e continua a poder usufruir da vista e do ar fresco. Em janelas, é possível aplicar grelhas metálicas/plastificadas ou telas de rede. Para varandas e terraços, a opção mais eficaz é instalar uma rede anti-queda. Seja qual for a protecção que escolher, é indispensável certificar-se de que a mesma é suficientemente sólida e eficaz para conter o seu gato e inspeccioná-la regularmente.

Se não tiver possibilidade de proteger as suas janelas e varandas, é essencial vedar o acesso do seu gato a divisões que tenham a janela ou a varanda aberta. Contudo, os gatos não caem apenas de janelas, varandas ou terraços. As quedas de telhados também acontecem e são igualmente graves. Por isso, para proteger o seu gato eficazmente, é igualmente importante não permitir que faça passeios fora de casa.

Embora muito menos frequentes, também acontecem quedas de cães. O pavor provocado por foguetes, a excitação de seguir uma bola ou a tentação de apanhar um pássaro pousado no parapeito podem facilmente provocar uma queda. E, não tendo a anatomia e a agilidade de um gato, as consequências para um cão são bem mais severas. A opção mais segura para quem tem animais de companhia é aplicar protecções adequadas.

https://www.encontra-me.org/nao_sabem_voar

 

  • Blogs Portugal

  • BP

  • 4 comentários

    Comentar post