Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

O Cantinho da Adopção! #49

Hoje o Cantinho da Adopção partilha convosco vários gatinhos que estão para adopção, neste momento aos cuidados de Pedro Cas (https://www.facebook.com/PedroMLCas/), pessoa que devem contactar caso estejam interessados em algum deste meninos!

 

Foto de Pedro Cas.

Península, nascida numa rua de Setubal, resgatada em Outubro de 2016, até hoje ainda à espera de adopção. Mini-gata, com cerca de 1 ano de idade, um pouco receosa do contacto com as pessoas, dá-se muito bem com outros gatos, em particular com o Salomão.

 

 

Foto de Pedro Cas.

Salomão, resgatado em Setembro de 2016, adora festas e biscoitos, mas continua à espera de adopção.

Adora festas. Dá marradinhas, dá beijinhos, dá a barriga a pedir festas, ronrona que se farta e adora a Peninsula. Só não gosta de colo. Nem de veterinários.

 

 

Foto de Pedro Cas.

Aleijadinho, resgatado aquando das obras no Alegro de Setubal, à espera de adopção desde Outubro de 2014. 

 

 

Foto de Pedro Cas.

Maya, resgatada de um esgoto com os seus bebés em Março de 2014, viu-os serem adoptados e ficou à espera de adopção. É muito meiga e carente.

 

 

Foto de Pedro Cas.

Xavier, 5 anos de idade, muito meigo, adora festas e colo, não se dá com outros animais. Tinha dona, mas fartou-se dele. Muito revoltado no início, hoje é um gato que adora colo, festas e companhia de pessoas. 

 

 

Foto de Pedro Cas.

Malinho, abandonado com apenas 6 meses de idade, resgatado em Fevereiro de 2014 depois de ter sido pontapeado, vive até hoje à espera de adopção

 

 

Deixo aqui também o email do cuidador e responsável por estes bichanos:

Pedrocas.pt@gmail.com

 

O Cantinho de adopção! # 48

 

Bom dia, amantes de animais!

 

O Cantinho de adopção, hoje traz um patudo e bigodes diferente do que é habital é cão, o Sam.

E porque, no nosso Clube o importante é ajudar, vos apresentar-vos este menino, que precisa com urgência de uma casinha ou de uma pessoa que possa ser sua FAT(família de acolhimento temporário).

 

O Sam tem menos de um ano, tem porte médio e é um poço de meiguice, super inteligente, educado e obediente, quem se apaixona por esta doçura?!

Está desparasitado e já foi castrado.

 

Este menino, foi abandono dentro do Centro comercial Dolve vita, ao que parece há uma nova moda, de abandono dos animais, quando pensavamos que já vimos tudo...

 

 

O Sam, foi resgatado pela Rute do Projecto Amor Animal  e deixar- vos o seu relato, para perceberem, a nova maneira de abandonar os animais:

 

"Já nem a um Centro Comercial podemos ir...
Quando vemos um cão a andar sozinho, temos sempre a esperança de que pertença a alguém que esteja perto. Foi o que aconteceu.

O Sam andava dentro do Centro Comercial Dolce Vita atrás das pessoas. Aparentava ser extremamente meigo.
Na 2ª vez que o vimos, ficámos a olhar muito mais atentamente. Primeiro pensamento: ver o chip.
Entretanto aparece um segurança que lhe pega ao colo e explica que abandonam ali imensos animais e que nunca ninguém os aceita, nem os canis.

O Sam ficou imenso tempo no colo do segurança, de barriga para o ar, calmíssimo, enquanto começava a ronda de telefonemas a pedir ajuda, pois não tinha chip e já não o conseguíamos lá deixar... :-(

Foi encontrada uma solução muito temporária (apenas por uns dias), pelo que apelamos muitoooooo a FAT (família de acolhimento temporário), ou idealmente, um Adoptante.

O Sam aparenta ser novo, de porte médio, extremamente meigo (com pessoas e outros cães), bem comportado e obediente. Porta-se bem no carro. É mesmo um mimo de cão. Do melhor. Precisa de uma família que lhe possa dar amor e receber todo o amor que o Sam tem para dar.

Inacreditável uma pessoa abandonar um cão como este! Vêm as férias e toca a descartar os animais como se de coisas se tratasse..."

 

Surreal, a nova moda de abandonar os animais, dentro dos Centros comercias!

Quem, quiser conhecer este menino  ou saber mais informações é favor contactar o Projecto Amor Animal, através:

968040357 (Inês Martins)
projecto.amoranimal@gmail.com

Como ajudar:
IBAN: PT50 0023 0000 45474786214 94
SWIFT: ACTVPTPL

 

O silêncio, das associações!

 

Hoje, trago um tema algo melindroso, mas já queria falar a algum tempo e que no sábado, passado a filha de umas das senhoras, que gentilmente comprou o nosso livro, comentou comigo!

" As associações, fecham-se demais" e quem perde, são os animais, na minha opinião!

 

É algo, que já passei como adoptante e agora, passo como membro do Clube de Gatos do Sapo, a falta de resposta das associações!

 

Há, três anos atrás quando decidi adoptar um gatinho, enviei emails para várias associações, para perguntar sobre determinado gato, queria fazer uma adopção consciente, no qual queria saber se tinha condições e como ando de transportes, não queria chegar e vir a saber que o animal, já tinha sido adoptado.

 

O que aconteceu é que durante, um mês não obtive qualquer resposta ou passado semanas responder que tinha sido adoptado, até que encontrei o Projecto Amor Animal e foi um correr de emails, passados uns dias tinha a minha Fénix!

 

Como, membro do Clube já enviei emails, a várias associações no sentido de divulgar no Cantinho da Adopção, os gatinhos que estão á espera de encontrar a sua casinha, só uma me respondeu a perguntar qual era o nosso objectivo e que estou aguardar que me enviem, as fotos e uma pequena discrição dos gatinhos!

Espero, sinceramente que o façam...

Um dos nossos membros, já enviou vários emails, com a sua disponibilidade para voluntariado e até hoje, está sem resposta!

 

As associações, não têm mãos a medir, estão sempre lotadas, eu sei que estão, porque já fui voluntária, numa delas, a pedir contribuições, porque infelizmente, quem se dedica a salvar animais , precisa dinheiro para o fazer, mas o seu silêncio perante quem quer genuinamente quer ajudar e adoptar, faz as pessoas desistirem e algumas, já tiveram mesmo más experiências, que foi o caso da senhora da Loja e como consequência, os animais que já poderiam ter uma casinha, continuam no abrigo!

 

E ainda, mais grave quando um grupo de pessoas se junta para tentar ajudar, como é o caso do nosso Clube, ao tentarmos vender o nosso livro, para angariar dinheiro, para as associações,as pessoas que abordamos olham-nos, com  desconfiança e muitas não querem ajudar.

 

Por, isso peço ás associações que se dêem mais a conhecer, respondam ás pessoas, ajudem-nos ajudar-vos!

Deixo-vos, com a história da minha Fénix, que escrevi para o Projecto Amor Animal, após uns meses!

 

IMG_20170529_205123.jpg

 

"Em Dezembro de 2014 decidi adoptar um gatinho ou gatinha, desde logo soube que teria que ser preto, pois são os mais discriminados ficando esquecidos nos gatis, sinceramente não percebo porque são lindos...Parecem umas mini panteras! :)

Comecei a pesquisar e pedir informações nos sites das associações mais conhecidas, como ando de transportes não é fácil deslocar e queria saber antes se gatinho estava já adoptado, se tinha necessidades especificas que eu pudesse comportar, fazer uma adopção consciente!

Qual o meu espanto com tanto apelo a adopção de animais abandonados, peço 1, 2, 3 e nem sequer 1 resposta venho mais tarde a saber no mesmo site que foram adoptados, ou noutros casos a resposta tarda,eu sei que têm muito trabalho e é difícil a gestão, mas nem uma resposta?! 
Numa ao fim de 1 mês lá responderam que tinha sido adoptada, foi aí que decidi tentar o olx e pedi então informação de uma gatinha, no qual me respondem passado pouco tempo do Projecto Amor Animal que eu não conhecia e foi uma troca de emails seguidos, a gatinha em questão já tinha sido adoptada, mas tinham 1 muito assustada e outra muito meiga, sabendo que a assustada seria mais difícil de adoptar, decidi logo que havia de conquista-la com todo o amor e carinho!:)

A Inês Magalhães foi a voluntária que tratou da adopção e foi uma querida me trouxe a gatinha a casa visto o abrigo ser na Margem Sul, hoje passado 8 meses a Fénix está linda e feliz como podem ver na foto!"


A Lili, a Catwoman e o Afonso

Foto de Tarecos Das Alcarias.

Foto de Tarecos Das Alcarias.

 

A Lili já tinha uma família adoptante mas, por ter ficado com coriza, essa família desistiu dela.

Agora, livre da corisa, está novamente disponível para adoção. 
A Tarecos das Alcarias procura alguém muito responsável e que goste tanto dela como eles gostam.

"Está no Barreiro, tem cerca de 3 meses, chegou muito assustada, levou algum tempo a perceber que não a iríamos magoar. Hoje é uma menina muito calminha e doce, que nos procura para se deitar junto de nós."

 

 

Foto de Tarecos Das Alcarias.

Foto de Tarecos Das Alcarias.

 

"Sou a Catwoman, uma gatinha tão doce quanto o mel das abelhinhas que rodeiam o lugar de onde saí.
Vim com as minhas amigas que ficaram comigo até completar os dois meses. Infelizmente quando ía ser entregue fiquei doente dos meus olhitos e tive que ficar mais tempo para fazer o tratamento. Tempo demais para quem espera!... Estou curada, mas por indicação médica terei que continuar a fazer o tratamento mais 4 dias. Quem tanto me queria desistiu de mim. 
Creio que as abelhinhas também partiram!... E as florinhas acabaram por morrer."

 

 

 

Foto de Tarecos Das Alcarias.

Foto de Tarecos Das Alcarias.

 

Alguém se apaixona pelo Afonso, o irmão da Catwoman?

Também ele esteve doente, e ninguém o quis, Também ele está à procura de uma família que o adopte e lhe dê muito amor.

 

Três gatos rejeitados por uma simples coriza, que se poderia facilmente tratar, sobretudo em casa.

Agora que estão curados, será que merecem uma novoa oportunidade?

 

 

Imagens Tarecos Das Alcarias

Contactos por mensagem privada no facebook (https://www.facebook.com/tarecos.das.alcarias) ou para o 936525510.

O Cantinho de adopção! # 47

received_10208607617897280.jpeg

 

Bom dia, lembram-se do post, que fiz"  A crueldade não para!", sobre uma ninhada salva pelo Projecto Amor Animal, que foi deitada cruelmente no lixo?

 

Pois, bem estes meninos sobreviveram graças ao esforço e amor da voluntárias e daqui a duas semanas, estarão prontos para adopção, quem anda á procura de um amigo, para a vida?

 

O Clube de Gatos do Sapo, conseguiu ajudar estes meninos, através da venda do nosso livro e agora, quer ajudar a encontrar uma casinha, cheia de amor, para mimar estes bebés!

 

received_10208553479503854.jpeg

 Não, uma delicia?!

received_10208554007397051.jpeg

 

 

received_10208553508064568.jpeg

received_10208640893409147.jpeg

 

Quem, quiser conhecer ou saber mais informações sobre este meninos, ou ajudar é favor contactar o Projecto, através:

 

projecto.amoranimal@gmail.com

Como ajudar:
IBAN: PT50 0023 0000 45474786214 94
SWIFT: ACTVPTPL
Descritivo: Ninhada saco

 

O Cantinho da Adopção! #46

Foto de Tarecos Das Alcarias.

Foto de Tarecos Das Alcarias.

 

Este tarequinho fez esta semana uma viagem de 165 kms no motor de um carro. Quando ouviram miar e abriram o capô do carro, deram com ele muito enfarruscado e assustado no motor do carro.

Veio da Colónia dos Tarecos e será devolvido à mesma no próximo fim de semana, se entretanto não se encontrar uma família adotiva.

Neste momento, está no Barreiro. Os interessados podem ligar para o 936525510.

 

Vejam aqui os vídeos do menino a tomar banho, e a secar-se!

 

https://www.facebook.com/tarecos.das.alcarias/videos/337653426669667/

https://www.facebook.com/tarecos.das.alcarias/videos/337655150002828/

 

 

Imagens e informações: Tarecos Das Alcarias

 

 

 

Altruísmo versus egoísmo

Imagem relacionada

 

Há já algum tempo que andava com a ideia de contactar uma associação que cuida dos animais de rua, e suas colónias, para ver o que se podia fazer com aquelas gatas e gatos que costumo alimentar a caminho de casa.

Disseram-me, há uns meses, que seria preciso enviar uma candidatura, ter padrinhos que custeassem as esterilizações, e ajuda dos cuidadores para conseguir apanhá-los.

Desde então tenho estado na dúvida se enviava ou não a dita candidatura.

 

 

Por um lado, não fazendo nada, a não ser dar-lhes comida e água, estou a deixar que eles se reproduzam, e daqui a pouco não são apenas 8, mas muitos mais. Se não fizer nada, estou a deixá-los entregues a si mesmos, e à boa vontade das pessoas que têm ajudado até agora, sem quaisquer outros cuidados.

Poder sinalizar a colónia, e haver quem os vá vigiando e não lhes deixe faltar o essencial, é querer o bem deles.

 

Mas, por outro lado, dou por mim a pensar se os gatos não querem, simplesmente, que os deixemos em paz, a viver a sua vidinha como sempre o fizeram. Dou por mim a pensar se, depois, não vão retirar os gatinhos bebés às mães, para adopção, e restituir estas à colónia, sozinhas. Que direito tenho eu de lhes fazer isso?

E, confesso, gosto tanto de ver todos ali sempre que passo, de ver a cumplicidade entre mães e filhos, e restantes gatos, como se fossem um clã unido, que iria sentir muito a falta deles, se os tirassem dali. E aqui, sim, estou a ser egoísta.

 

De qualquer forma, nenhuma mãe deveria ser privada dos seus filhotes. Por muito bonito que seja adoptarmos gatinhos bebés e seja assim que funciona, sendo os gatos separados das mães logo que podem, para encontrarem nos humanos as suas famílias, o que sentem as mães gatas quando vêem que todos os seus filhotes partiram?

 

Assim, voltamos ao ponto de partida. A única forma de isso não acontecer, é as gatas não terem filhos. Para isso, é preciso esterilizá-las. E, para isso, é preciso sinalizar a colónia.

É por isso que ando aqui nesta ambiguidade, entre o que será mais correcto fazer, o que devo fazer, e o que o o coração me diz para fazer.

Qual a melhor decisão? 

 

Para já, enviei a candidatura. O resto logo se verá...

 

 

Campanha de Adopão de Animais e Mafra

Foto de Adoromimos - Associação de Defesa e Protecção Animal.


A AdoroMimos, com o apoio da Câmara Municipal de Mafra, vai realizar amanhã, uma Campanha de Adoção de Animais, que terá lugar no estacionamento do Parque Desportivo de Mafra, das 10 às 19 horas.
Durante a manhã, entre as 10 e as 13 horas, estarão presentes quatro cães, do canil de Mafra, para quem os quiser ir conhecer e candidatar-se à sua adopção.
Haverá ainda uma Feira da Bagageira, pinturas faciais, uma palestra com a veterinária Drª Cátia, do O Cantinho da Pip’s, e a atuação dos Gaiteiros da Freiria.
Haverá também lugar à recolha de donativos que a associação está a precisar: alimentos seco e húmido para cão e gato, cimento, tijolos e redes (para o abrigo Adoromimos), produtos de limpeza (detergentes, lixívias) e casotas em pvc, transportadoras, trelas, coleiras e mantas, entre outros.

Novas obrigações legais a partir de 1 de Maio

Resultado de imagem para estatuto jurídico dos animais

 

Porque os animais não são coisas, e há muito deveriam deixar de ter esse estatuto, é com satisfação que recebo a Lei n.º 8/2017, que produzirá efeitos a partir de 1 de Maio.

O novo estatuto jurídico reconhece que os animais são seres dotados de sensibilidade, deixando de os considerar "coisas", e adapta a protecção legal à sua natureza, sendo fundamental garantir a higiene, a saúde, o bem-estar e a segurança dos animais.

 

Proporcionar bem-estar ao animal de estimação

Eu diria que os donos, mais do que "proprietários" dos animais, serão antes equiparados a tutores, legalmente obrigados a assegurar o respeito por cada espécie e pelo seu bem-estar, incluindo alimentação, vacinas, cuidados veterinários e formas de identificação, podendo ser punidos em caso de desrespeito ou incumprimento. 

Daí que seja cada vez mais importante perceber se temos condições para adoptar um animal, e pensar muito bem na decisão da adopção, pesando os prós e os contras, sem precipitações, para não levar a arrependimentos, ou comportamentos errados.

 

Regulação das Responsabilidades Animais

É uma espécie de regulação das responsabilidades parentais, mas aplicada aos animais de estimação. Em caso de divórcio, os donos terão de chegar a acordo sobre quem fica com o animal de companhia da família. É obrigatório que o consenso tenha em conta o bem-estar do animal, os interesses dos filhos e de cada um dos ex-cônjuges. 

 

Indemnização em caso de lesão

Quem causar lesões, independentemente de ter sido ou não intencional, terá de indemnizar o dono ou a entidade que socorreu o animal, sendo essa indemnização devida, mesmo que seja superior ao valor do animal. Quando há amputação de um dos membros, retirada de um órgão interno, prejuízo grave e permanente na locomoção ou morte, o dono tem direito a uma indemnização por danos morais.

Isto das indemnizações, não só em animais, como no que às pessoas diz respeito, tem muito que se lhe diga. Uma coisa é ser indemnizado por todas as despesas que se teve devido a essa lesão causada. Outra, é estar a colocar em valor monetário, algo que não tem valor físico. Quanto vale a vida de alguém, quanto vale a incapacidade de alguém, quanto valem as preocupações, aflições, noites perdidas, desgaste psicológico e por aí fora?

 

Circulação na via pública

Na via pública, cães e gatos devem circular com coleira, com a indicação do nome do animal e morada ou telefone do dono. A menos que andem pela trela, os cães são obrigados a trazer açaime, e a estar acompanhados pelo dono.

Penso que isto se aplicará mais aos cães do que aos gatos, porque serão raros os donos que levam os seus bichanos a passear à rua. E os que deixam os seus gatos ir à rua, à vontade, não estão interessados em ser identificados, em caso de alguma coisa correr mal,porque sabem que sobrará para eles.

 

Raças perigosas

Com cães de raças potencialmente perigosas, como rottweiller ou pit bull terrier, os donos deverão contratar um seguro de responsabilidade civil, com um capital mínimo de 50 mil euros. Os donos podem ser responsabilizados criminalmente pelos danos a terceiros.

 

Animais perdidos

Quem encontrar um animal pode retê-lo, no caso de indícios fundamentados de maus-tratos, por parte do proprietário legítimo.

Nos restantes casos, aplica-se a legislação já em vigor:

- devolver o animal se souber a quem pertence

- divulgar o achado de forma adequada, no caso de desconhecimento do proprietário

- recorrer a um veterinário para verificar se o animal está identificado de forma eletrónica (microchip)

No caso de insucesso, após a divulgação do animal perdido encontrado, e impossibilidade de o restituir ao seu proprietário, e se este não reclamar o animal no prazo de um ano, este passa a ser legitimamente de quem o encontrou.

 

 

Resultado de imagem para lei 8/2017 animais

 

No entanto, a nova lei não agrava as penas por maus-tratos, e abrange apenas os animais de companhia (com maior incidência nos cães e gatos).

Os de exploração agrícola, pecuária ou agroindustrial ou os animais utilizados para fins de espetáculo comercial não estão incluídos. 

 

Informação completa em www.deco.proteste.pt e http://saldopositivo.cgd.pt

 

 

Para uma adopção responsável neste Natal

 

Hoje partilho convosco alguns conselhos deixados pela Gatos à Solta no que respeita à oferta ou adopção de animais nesta época natalícia:

 

"Nesta altura do ano, muitas pessoas querem alargar a sua família adoptando um animal de estimação. Ou amigos querem alegrar a vida de outros amigos escolhendo-lhes uma companhia felina ou canina.

A época do Natal é uma altura tão boa como outra qualquer para adoptar um animal. É uma época em que as famílias têm mais tempo para conviver entre si, em que pais e amigos procuram marcar a data com algo que há muito é desejado por um dos membros da família, em que os adolescentes e jovens estão num período de férias escolares e podem acompanhar os primeiros dias do novo amigo no seu Lar.

Para que tudo corra bem, deixamos algumas sugestões:

  • A chegada do novo elemento à casa de família deve acontecer numa altura calma, para que se ambiente melhor.
  • Se possível, em vez de oferecer o animal, oferecer uma caminha, um brinquedo, que representem o novo amigo e a seguir ir visitar animais que estejam para adopção, deixando a escolha a quem se quer presentear.
  • Se a família vai passar o Natal fora de casa, planear a chegada do novo amigo para uma altura posterior.
  • Oferecer um animal apenas à própria família ou a um amigo muito chegado que tenha confirmado previamente que quer adoptar com consciência.
  • Evitar oferecer a uma avózinha um cachorro saltitante e cheio de força ou um gatinho bebé hiper-activo; um animal adulto que já tenha vivido numa casa será a companhia ideal e agradecida.

Com cuidado, com sensatez, os nossos amigos irão viver no seu novo Lar por muitos e bons anos. E é isso que queremos para eles."

 

 

 

Artigo e imagem da autoria da Gatos à Solta.

  • Blogs Portugal

  • BP