Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

O estrabismo nos gatos

Foto de Clube de Gatos do Sapo.

 

No outro dia, na brincadeira, apelidei o Pompom (branquinho) de gato estrábico, por parecer que estava a entortar os olhos.

Ontem, também me pareceu fazer o mesmo, e fui pesquisar se existiriam, de facto, gatos estrábicos.

 

A resposta é: Sim, o estrabismo em gatos existe!

 

O estrabismo, ou também conhecido como desvio ocular, é uma situação bastante comum de ser encontrada em gatos não estando, por norma, relacionado com nenhuma patologia (doença), embora seja necessário descartar essa possibilidade.

O estrabismo não é algo somente estético.

"Esse desalinhamento dos olhos pode afetar a percepção de profundidade do animal. Pode haver, no olho estrábico, alteração na acuidade visual, ou seja, o gato não vê com nitidez ou, em alguns casos, acuidade zero (cegueira total)."

As raças mais predispostas ao aparecimento de estrabismo são: Siamês, Persa, Angorá e Red Point, entre outras. Relativamente aos siameses, estes felinos trazem essa alteração geneticamente, por isso não há forma de prevenir. 

 

Tipos de estrabismo

Existem dois tipos principais de estrabismo: O convergente e o divergente.

O estrabismo convergente, caracterizado pelo olhar cruzado (o animal olha em direcção ao nariz), é o mais comum nos gatos. 

 

Tratamento

O tratamento cirúrgico do estrabismo, na maioria das vezes, não é feito. Nos animais, é bastante raro profissionais executarem cirurgias por questões meramente estéticas. Nos casos em que a alteração tem outra origem, por exemplo, a neurológica, são recomendadas terapias específicas pelo médico veterinário responsável pelo caso.

 

Prevenção

A prevenção consiste em não cruzar gatos estrábicos para que o gene não seja passado para os filhotes.

 

Acompanhamento

É importante que todos os animais estrábicos sejam avaliados por um oftalmologista veterinário. Os animais, assim como os humanos, necessitam sempre de uma avaliação de um profissional da área médica.

 

 

Fontes:

http://portaldocat.com.br/

https://www.peritoanimal.com.br

 

 

Ir de férias

Férias!!! Ciente de precisar destas, rugente e de que o meu Jonas tem melhor prespeção do que no ano passado...eu, 3 dias antes pus-me a pensar qual a forma, para ele, de eu ir sem este se aperceber. A melhor maneira era como se fosse comprar pão ou outro género. Simplesmente ir e não olhar para trás. Viva as férias!!! Fora do ambiente rotineiro mas não deixando de olhar para o lado, foto ou video, pude "matar saudades" assim´. Chegada de viagem recebeu-ma a "medo" mas quanto à minha pessoa quase ignirada. Confeço que me naguou um pouco, sim. Aquela independência dependente deixou-me desprotegida e sem barreiras e como se a aprendezagem de mim para ele fosse por àgua abaixo. Felismente à noite foi o costume. Enroscousse para o meu lado e assim o seu comportamento foi o abitual. No dia seguinte foi como se não me vice na véspera ou seja "fintou" a vasoura, acelanrando o passo quando esta se aproximava dele ou saltando com as patas como se batessem palmas. Agora acho-o normal, pelo menos parece.

A decisão mais acertada?

Foto de Marta E André Ferreira.

 

Ontem saímos para ir ver o espectáculo de videomapping no centro de Mafra.

Antes, o meu marido teve que passar pelo hospital, e de seguida fomos à farmácia. Já nos despachámos tarde, Mafra estava cheia e tivemos que procurar estacionanamento longe do centro.

Eu não estava com muita vontade de ir, mas o meu marido queria ver como era o espectáculo e, depois de falar à minha filha, também ela queria ir.

Estacionámos num parque novo e, quando estamos a chegar, o espectáculo acaba! Desilusão. Vemos um mar de gente a dirigir-se para o estacionamento e digo ao meu marido "vem já, senão apanhamos com esta gente toda".

 

E é quando estamos a ir de volta para o carro que nos deparamos com esta gata. 

Miava, talvez com fome, talvez assustada, talvez perdida...

Tinha a ponta da orelha ferida e já a formar crosta. 

Muito meiguinha, veio logo quando a chamámos, e só queria mimos e festinhas.

Está gordinha, o que nos leva a crer que alguém a alimenta.

 

O meu marido queria levá-la ao veterinário. Mas, lembrei-o, não temos dinheiro para isso neste momento.

A minha filha queria levá-la para casa. Mas não poderia arriscar juntá-la às nossas gatas, sem saber como está de saúde e, lá está, não temos dinheiro para isso.

Pensei em levá-la para a nossa rua, mas não faço ideia se a gata estava perdida, ou se está habituada a estar ali, e não fazia sentido estar a tirá-la de um local que conhece, para trazê-la para uma rua estranha, só para estar mais perto e poder alimentá-la.

 

Ainda ficámos lá bastante tempo, enquanto esperávamos que os carros saíssem do estacionamento, eu e a minha filha sentadas no passeio, e a gata deitada ao pé de nós. Só não gostava muito quando a tentávamos pegar ao colo.

 

Sem nada que pudessemos fazer, a não ser partilhar, ela acabou por ir à sua vida, e nós à nossa, rumo a casa.

 

Terá sido a decisão mais acertada?

 

 

Os gatos são animais de rotinas?

Resultado de imagem para gatos têm rotinas

 

Por aquilo que conhecem dos vossos gatos, diriam que eles são animais de rotinas bem definidas, ou surpreendem a cada instante, por não saberem o que esperar deles?

 

Por aqui, quase sabemos a que horas as nossas gatas costumam ia à casa de banho, comer e dormir a sesta!

Em dias normais, acordam cedo. A Becas, mal ouve o despertador, coloca-se como estátua na mesa de cabeceira do meu lado, e só sai quando me levanto. A Amora, costuma sair mais cedo da cama. Esperam que eu me levante para irem comer e à casa de banho. Se não estiver ninguém em casa, e depois das brincadeiras matinais e brigas, dormem até ao almoço. Voltam a comer, fazer as necessidades, brincar. Dormem à tarde. E o mesmo à noite.

Se, por acaso, saímos e chegamos mais tarde, elas só vão comer quando chegamos, e só nessa altura vão à caixa.

 

Quando chega à noite, a Amora vai logo para cima da nossa cama, à espera que os donos se deitem. Quando o fazemos, brinca ali por cima com os brinquedos. Ultimamente, quer entrar dentro da cama. Fica por lá uns minutos. Depois, num impulso, sai de dentro da cama e volta a deitar-se, do lado de fora, aos pés.

 

A Becas só gosta de comida acabada de colocar no comedouro. Se um deles tiver comida nova, e o outro mais antiga, ela vai ao da nova. A Amora que coma a outra!

Achei piada no outro dia, quando coloquei comida nova em baixo, e um restinho da mais antiga em cima. Foi lá, cheirou, olhava para mim, voltava a cheirar, voltava a olhar para mim a miar, como quem diz "não quero esta, põe-me comida nova no outro". Resignada, lá comeu.

 

Por estas pequenas coisas, e outros pormenores, eu diriam que as nossas meninas gostam de rotinas, e têm-nas bem estabelecidas!

E por aí?

 

 

 

Desde pequena que gosto de gatos

decadasgatos.jpg

Não tenho bem a certeza do nome do  primeiro gato da foto, mas creio que era o Necas.

 

O segundo era o Lipe, como o personagem de uma novela da época, representado pelo actor Lauro Corona, e eu devia de ter aí uns 14/15 anos. Lembro-me que este carro, de um dos meus irmãos, era novinho e ele só permitia a foto se eu mete-se um pano por baixo para o bichano não arranhar a pintura. Pelo caminho ainda tivemos mais uns quantos, com os quais não tirei fotos, com muita pena minha...  

 

E os da terceira imagem são os meus actuais felinos, o Riscas e o Rafael.

 

O Cantinho da Adopção! #51

Foto de Tarecos Das Alcarias.

 

O Kenia tem cerca de 4 meses, aguarda ele também por uma família que o possa tratar e acarinhar. Os seus irmãos, o Kiko Palma, e o Caramelo já encontraram um lar. Vamos dar-lhe também um cantinho no coração de alguém. 

 

Foto de Tarecos Das Alcarias.

 

A Sancha tem cerca de 4 meses, e necessita encontrar a sua família adotiva. 

 

 

Foto de Tarecos Das Alcarias.

 

É um menino, o Sancho, tem cerca de três meses e está em risco de ficar cego de um olhito devido à corisa que não foi tratada. Necessita de uma família responsável que a possa ficar com ele e a trate antes que fique cego definitivamente 

 

 

Entrega nas zonas de Setúbal, Barreiro, Lisboa e Cascais. 
Contacto: 936525510 (Tarecos Das Alcarias)

  • Blogs Portugal

  • Pág. 4/4