Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Para começar bem a semana!

Foto de Tarecos Das Alcarias.

 

Na passada semana foram entregues, aos Tarecos das Alcarias, os novos livros encomendados para ajudar a causa.

O valor angariado será utilizado na esterilização de algumas gatas da colónia, cujas cirurgias estão agendadas para dia 16 de Novembro!

Clube de Gatos do Sapo deu o primeiro passo, mas o mérito cabe, sobretudo, a quem se juntou à causa e adquiriu os nossos livrinhos, para ajudar os Tarecos Das Alcarias.

Nunca tivemos tantas encomendas. Continua a haver pessoas interessadas em adquirir os nossos livros (sim, o primeiro também), e estamos à espera de mais pedidos, para podermos fazer nova encomenda.

 

Sem elas, esta missão não seria bem sucedida!

 

O Cantinho da Adopção! #59

Foto de Associação EntreGatos.

 

Esta linda panterinha, de pelo lustroso, é a Adeline.

A Adeline veio dos Açores para procurar a sua felicidade. É uma gatinha linda e meiga e, ainda assim, o destino que a esperaria por lá seria trágico.
Hoje está com a Associação EntreGatos, e pronta para começar uma nova fase da sua vida, cheia de amor e carinho, em que comida e um colinho carinhoso nunca faltará.

Onde anda a família metade desta gatinha cabeluda? Quem se apaixona por esta panterinha linda que só precisa de uma oportunidade para ser feliz?

Tem cerca de 2 anos, e está esterilizada, testada, vacinada e chipada.

Ajudem a encontrar uma família para a Adeline partilhando muito o seu apelo. 

 

Contactos para adopção:
934606567 - Ivone - de 2ª a sábado, das 14 às 19h (este n.º é só para adopções para outro assunto 936171857)
adopcao.entregatos@gmail.com
Os gatinhos são entregues em casa 2ª e 6ª ao fim do dia, e sábado de manhã.

 

Associação EntreGatos

A curiosidade salvou o gato

Resultado de imagem para a curiosidade salvou o gato

 

A Royal Canin acaba de lançar” A Curiosidade Salvou o Gato”, uma campanha para consciencializar os tutores, para a importância de levarem os gatos, de forma mais regular, ao veterinário.

A decorrer durante o mês de Outubro, a iniciativa tem um cariz solidário, e vai apoiar a Associação Animais de Rua.

 

Lançada a 24 de Outubro através do claim “Leve o seu gato ao veterinário”, a campanha desafia as pessoas a partilharem, no Instagram, uma selfie com o filtro de “gato” e publicá-la nos seus perfis utilizando a hashtag #Cat2Vet. Por cada fotografia partilhada até 15 de Novembro, a Royal Canin irá doar uma refeição para gatos à associação Animais de Rua*.

 

Marta Bigio, da Royal Canin Iberia, adianta:

“Os gatos são animais inteligentes e que conseguem muitas vezes passar despercebidos. Apesar de existirem cerca de 1,5 milhões de gatos nos lares portugueses, há muitos tutores de gatos que não se apercebem da importância dos cuidados de saúde. Mais de metade das famílias portuguesas levam apenas uma vez os gatos ao veterinário e muitas vezes ficam surpreendidas com a necessidade da monitorização regular da sua saúde.”

A responsável refere ainda que “em conjunto com os nossos parceiros, queremos alertar as pessoas para a importância destes cuidados, acima de tudo preventivos, como forma de garantir uma melhor qualidade de vida e a longevidade dos seus gatos. Esta campanha visa precisamente incentivar os tutores de gatos a agendarem uma consulta no seu médico veterinário”.

 

Para mais informações sobre a campanha consulte a página oficial e acompanhe as novidades no Facebook e Instagram da Royal Canin.

 

* Serão atribuídos à Animais de Rua até 10.000 taças de alimentação Royal Canin.

 

A chegada de um novo membro à família

Resultado de imagem para adoção de dois gatos

 

Aqui no Clube, apesar das dificuldades iniciais, os casos em que existem dois felinos a cohabitar no mesmo espaço, tendo um chegado ao lar mais tarde que o outro, são de sucesso!

E é assim, na maioria das vezes.

Mas, atenção...

É preciso estar ciente de que o contrário também pode acontecer, e que o animal que temos em casa pode, não só não aceitar a nova companhia, como isso essa nova situação ter implicações na sua saúde.

 

Em algumas campanhas de adopção a que tenho ido, dizem-me sempre, quando mostro relutância em adoptar um novo gato, ou cão "ah e tal, eles acabam por se habituar, eu também tenho cães e gatos, e dão-se bem".

Pode até ser, mas também pode não ser. 

Porque não ser honesto e dizer "de uma forma geral e, com tempo e paciência, as coisas costumam correr bem, mas não podemos garantir"?

Porque não dizer "depende muito de animal para animal" ou, no caso dos cães,  "não sabemos, porque nunca esteve junto com gatos"?   

É que falar é muito fácil e, com tantos animais para adopção, se se puder "despachar" uns quantos, melhor, para dar lugar aos outros que precisam.

Mas quem adopta é que fica com a experiência em mãos, sem saber ao que vai, e como irá correr.

 

Sim, continuo a achar que, se for possível, devemos adoptar mais do que um gato, ou gatos e cães, porque há exemplos desses, em que ambas as espécies se dão bem.

Mas é preciso estar ciente que as coisas podem não correr bem. Que, por ciúmes, o animal mais antigo pode não aceitar a presença do novo. Que pode mudar o seu comportamento, tornando-se mais agressivo, não só para o novo animal como também para os donos. Que pode, até, entrar em depressão, e ter que andar a tomar medicamentos para diminuir o stress e agitação, ou antidepressivos.

 

E não é isso, de certeza, o que se deseja para o animal que já temos, nem para o que levámos para casa. 

Em alguns casos, temos que aceitar que não vale a pena forçar. Que há animais que preferem viver sozinhos, tal como há aqueles que se sentem melhor com companhia.

 

 

O que somos aos animais que vivem connosco?

Foto de Becas e Amora.

 

Desde sempre que nós, humanos, nos apelidamos, relativamente aos animais que estão a nosso cargo e dos quais cuidamos, como seus donos. Era algo tão natural e tão espontâneo, que nem questionávamos.

Nesse tempo, ainda os animais eram vistos como coisas, e daí também ninguém se importar com a forma como tratávamos os animais, e a forma como nos víamos em relação a eles.

 

Hoje em dia, com tantas lutas por um novo estatuto do animal, e por melhores condições e protecção aos animais de estimação, a palavra "dono" começa a ser mal vista, e a provocar mal estar entre alguns defensores de animais.

 

Pois eu confesso que continuo a dizer que sou a "dona" das minhas bichanas, e não pretendo mudar. E não mudo, porque não o faço com a conotação negativa que lhe querem dar.

Defender os animais e os seus direitos, acho bem. Mas sem cair em exageros. A maldade, muitas vezes, está nos olhos de quem a vê.

Sou a sua dona, tal como elas são minhas donas! Pertencem-me, tal como eu lhes pertenço a elas. Numa relação de amor, carinho, amizade, lealdade...Não no sentido de propriedade, de que lhes posso fazer o que quero porque são minhas.

 

Não condeno quem prefere apelidar-se de cuidador, tutor, ou até pai/mãe. Mas não condenem, da mesma forma, quem prefere apelidar-se de dono.

 

E por aí, como se vêem em relação aos vossos animais?

  • Blogs Portugal

  • Pág. 1/5