Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Dicas de como se dar um remédio ao nosso gato

Quem já não levou uma boa meia dúzia de  bufadelas, arranhões e até mesmo mordidelas... na altura que se tenta enfiar o comprimido pela boca abaixo dos bichanos?

 

Phot.jpg

 

Foto Valery Kudryavtsev 

 

É que isto de dar um comprimido a um gato pode-se tornar numa autentica saga...

Como te compreendo Anabela!

Pois...

Recentemente tive essa experiência. Quando o meu Jaqui esteve com um episódio de cistite aguda. Os primeiros 3 dias, com duas tomas diárias. Duas seringas de manhã e duas à tarde, cada uma com o respectivo anti-inflamatório e analgésico. Mais uma cápsula também essa a ser dada duas vezes ao dia... durante 30 longos e extenuantes dias. E se, quase se vomitava todo com o sabor duma das seringas... nos primeiros dias com a cápsula, a rotina era... a lembrar o "Apanha se puderes"...

... apanhas a drageia que voou da minha boca para o chão e me tentas segurar, num intervalo de... 5 segundos?!

Para nem lembrar que no início eram precisas duas pessoas para o segurar. Mas, a partir do meio do tratamento já conseguia dar-lhe sozinha! Grande vitoria!!!

 

Como o fiz?!

Não vou explicar... deixo-vos o video. Com paciência e amor... qualquer um dos métodos resulta!

Boa sorte!...

(^..^)ノ

 

Uma boa comunicação entre o veterinário e o dono do gato é fundamental

Resultado de imagem para comunicação veterinário gato

 

 

Se é certo que, algumas vezes, os médicos dão-nos demasiada informação que até dispensaríamos, sobretudo quando falam em termos médicos que só eles percebem, também é verdade que, muitas vezes, pecam por escassez de informação, talvez porque achem que, para quem está do outro lado, basta saber que tem um problema e como deve tratá-lo.

 

O que acontece, e por certo já o fizemos algumas vezes, é que, na dúvida, na incerteza, temos tendência a procurar a informação que nos falta (e que não nos foi dada), noutras fontes, nem sempre fidedignas, correctas, algumas vezes confusas e, até, alarmantes, que nos desassossegam e fazem imaginar vários cenários, cada um mais grave que o outro ou, por outro lado, desvalorizar as situações, compará-las com outras semelhantes, considerar que é algo com o qual não é preciso haver grande preocupação.

 

Assim, é essencial que haja uma boa comunicação entre médico veterinário e o dono do animal que está a ser consultado, de forma a evitar estas situações que, em último caso, serão prejudiciais ao animal. 

 

 

Eu considero que, da parte dos médicos veterinários, devem:

  • na consulta, ao examinar o animal, ir explicando aos donos o que estão a fazer, e porque o estão a fazer, o que estão a avaliar
  • quando solicitam ou aconselham análises, explicar o que se pretende descobrir com as mesmas, e de que forma serão feitas; no caso de existirem vários métodos, explicar cada um deles e deixar que o dono decida a que considerar melhor
  • quando têm na sua posse os resultados de análises ou exames, explicar aos donos o que foi detectado nos mesmos, ou enviar para os donos, com a respectiva explicação porque, se os donos apenas recebem as análises/ exames, sem qualquer outra informação, é mais que certo que a vão tentar obter por outros meios, nem sempre certos, quando poderia ficar tudo esclarecido no momento
  • quando receitam um determinado medicamento, explicar para que serve o mesmo, se existem opções equivalentes à disposição, vantagens e desvantagens, se as houver
  • explicar, em concreto, em que consiste o problema do animal, e que preocupações/ cuidados devemos ter em consideração quer no tratamento, quer na prevenção de futuras situações semelhantes

 

 

Já da parte dos donos:

  • não devem ter receio de colocar todas as questões que acharem pertinentes, ou necessárias para compreender o que se passa com o animal, durante a consulta
  • não devem ter receio de colocar as dúvidas que tiverem, porque é preferível esclarecê-las com quem sabe, e observou o animal
  • se não estão a compreender o que o médico veterinário está a explicar, pedir para explicar novamente - por vezes eles entusiasmam-se e começam a falar em termos que só os entendidos compreendem, e esquecem-se que, quem ali está, pode não perceber dessa forma o que lhes está a tentar transmitir
  • se acharem que o médico veterinário não fez tudo o que consideraram necessário na consulta, peçam para que este faça o que têm em mente, seja uma simples medição de peso, observação de algo que o médico não viu, ou até mesmo uma análise ou exame
  • quando são prescritos medicamentos, exames ou análises, e se acharem que não sabem bem porque são necessários, mais uma vez, perguntem, vejam se existem alternativas igualmente viáveis
  • em caso de dúvidas que surjam já em casa, não hesitem em ligar para a clínica/ hospital para tentar esclarecê-las
  • os veterinários zelam sempre pelo bem estar do nosso animal (ou deveriam) e, como tal, é normal que aconselhem vacinas, rações especiais, produtos inovadores que podem ser bons para os animais, e igualmente bons, a nível de lucro, para a clínica/ hospital, mas que nem sempre os donos têm condições para adquirir, por isso, é necessário que estabeleçam prioridades, que se fiquem pelo mais urgente e necessário, sem se deixarem influenciar pelo "marketing" a que são sujeitos
  • Se não estiverem, de todo, satisfeitos com a forma como os vossos animais foram atendidos/ tratados, com os métodos usados pelo médico veterinário ou procedimentos da clínica/ hospital, se ainda assim têm dúvidas acerca do diagnóstico, tentem procurar outros profissionais, obter uma segunda opinião e, em último caso, mudar de clínica/ hospital

 

 

E por aí?

Gostariam de acrescentar mais alguns pontos fundamentais para uma boa comunicação, um bom atendimento, e satisfação total de todas as partes envolvidas? 

 

 

 

 

 

Imagem: veterinaria atual

 

Três dias depois, o diagnóstico

O episódio em que notei algo estranho foi no domingo rente à tarde, onde ele miava muito cada vez que ia ao WC, e ia muitas vezes, quase de cinco em cinco minutos.

 

Depois de ir ao veterinário, veio para casa, fazer para eu recolher o xixi para análise. Depois de finalmente conseguir que o Rafael fizesse o xixi naquele recipiente, e depois do resultado da análise, infeção urinária, chegou o tratamento.

rafador.jpg

Não quero estar a duvidar de ninguém, mas gostava de ter uma segunda opinião das análises, é que , não me parecia tão grave para depois do anti-inflamatório, da mudança da ração, da mudança da agua ainda ter tomar antibiótico. As cápsulas já não estranhei, porque já outro gatinho aqui do clube numa situação idêntica tinha tomado. O difícil é dá-las ao gato, ele cospe-as!

rafaelanalise.jpg

Isto porque nas observações dizia "ligeiro sedimento"! Já andei a pesquisar umas coisas que a Marta e a Loulou me aconselharam. Só não quero dar nada ao bichano que lhe faça mal, porque ele aparentemente já parece estar bem, e isto parece-me forte demais para o bichano.  

Não é fácil recolher urina ao gato para a análise

A propósito da suspeita de o Rafael ter uma infeção urinária, como já falei aqui, tenho a dizer que ainda não consegui fazer a recolha da urina do gato para a análise. Este método de ser a dona a fazer a recolha em casa, pareceu-me bem à partida, até por ser mais economico, mas os gatos são cheios de manias e teimosias. E o Rafael não está a colaborar!

 

No domingo à noite parecia muito atrapalhado, como podem ver aqui . Também percebi neste domingo, quando estava tão preocupada e além de ser domingo  era tarde para ir a um veterinário, que  a linha de saúde animal 24 já não funciona telefonando.

 

O pacote da tal areia especial para o efeito é pequeno, tem pouca quantidade e parece sílica, e ele não entende, para ele, aquilo serve para brincar.

especial.jpg

Tal como está escrito no verso, a areia vem com uns utensílios para fazer a recolha.

colheita.jpg

Os utensílios são estes:

utensilisos.jpg

Primeiro coloquei na caixa de areia grande.

big789.jpg

Depois como não funcionou, meti numa pequena.

recipientepekeno.jpg

Mas para ele aquilo não deve ter "cara" de WC...

 

Ele até anda animado, talvez a ração urinária, a água do Luso e o anti-inflamatório estejam a fazer bem, mas é preciso fazer análise!

 

Quando os gatos têm que fazer análises à urina

Resultado de imagem para urina gatos

 

 

Provavelmente, alguns dos donos de gatos já tiveram que, alguma vez na sua vida, levar os seus animais ao veterinário, e estes precisarem de fazer análises à urina.

Nos humanos, todos sabemos como funciona mas, e nos gatos?

Esperamos que eles urinem, e fazemos a recolha com o frasco? Não parece muito prático, nem parece que eles o deixem fazer. E será necessário dar água ao gato, para que ele fica com urina na bexiga e seja mais fácil fazer o xixi?

 

Com a Becas e a Amora, elas foram levadas para uma sala específica para lhes ser feita a recolha da urina. Em poucos minutos, estavam de volta. Fiquei curiosa para saber como é que teriam eles feito essa recolha.

Com o Rafael, o gato da Anabela, a veterinária sugeriu um método diferente.

E isso levou-me a pesquisar as formas mais utilizadas para fazer a colecta de urina, quando é necessário fazer análises à mesma.

 

 

Assim, temos:

 

 

 

Imagem relacionada

 

I - Cistocentese

É a forma mais recomendada e que, provavelmente, foi a utilizada com as nossas gatas. Na maioria dos casos, é indolor e segura, consistindo na coleta através de punção por agulha, diretamente da bexiga do animal.

Através deste método, e obtida uma melhor amostra, com menores riscos de contaminação.

 

 

 

exame-de-urina-amostra.jpg

II - Micção espontânea

Quando os gatos não se deixam manipular pelo veterinário, este pode sugerir a colecta feita em casa, pelo próprio dono.

Neste método, é necessário um frasco para colecta (algumas clínicas disponibilizam gratuitamente) e posicioná-lo sob o animal enquanto ele está a urinar, para fazer a respectiva coleta da amostra. 

 

 

 

140507gatocaixaareiagetty.jpg

 

III - Areia especial para colecta 

Já existem no mercado areias próprias, com propriedades específicas que permitem aos donos fazer a recolha da urina em casa, sem grande stress.

Com um repelente natural para urina, esta ficará em cima da areia, permitindo uma colecta fácil da urina.

Normalmente, estas areias vêm com uma pipeta, com a qual se faz a colecta da urina que está sobre a areia, e com um tubo para armazenagem. 

 

 

 

meuamigogato.blogs´pot.com CATETERISMO URETRAL.jp

IV - Cateterização

Método que consiste em inserir um tubo de plástico flexível através da uretra até a bexiga.

 

 

 

E por aí, que métodos utilizaram com os vossos gatos?

Smoothie, uma gatinha linda e muito fotogénica

Alguns gatos ficaram famosos por terem alguma característica que os torne especiais, por terem realizado um feito heróico, por terem salvo alguém, por terem algum problema de saúde ou limitação física, por sobreviverem em situações limite, por serem únicos, por terem herdado fortuna dos seus donos, por terem uma beleza imensa.

 

Existem imensos pela internet, com páginas nas redes sociais, pelos média, com peluches imitando-os, até em livros!

 

Desta imensidão de gatos e gatas, escolhi uma, que é de uma beleza infinita. A Smoothie, de olhos verdes. A sua dona, Arvid van Boekel , dedicou-lhe uma página no instagram, onde já tem uma imensidão de  seguidores, para além de vídeos no Youtube.  Ela é uma gatinha da raça British Longhair, raça de origem britânica. A raça ganhou prestígio com o gato de Cheshire em “Alice no País das Maravilhas”.

 

Esta gatinha é considerada a gata mais fotogénica do mundo, pois parece que gosta de ser fotografada, se não, como se explicava o facto de ela fazer aquelas poses. Seja qual for o lugar, situação, com luz, sem luz ela fica sempre bem!

 

13191819003307[1].jpg

13191727675305[1].jpg

Que rica gata!

Resultado de imagem para choupette herdeira de karl lagerfeld

 

Solteiro e sem filhos, Karl Lagerfeld estipulou que a sua mais querida companhia - a sua gata Choupette -  ficasse com parte da sua fortuna, pelo que vai continuar a ser a gata mais rica do mundo.

 

Choupette é de raça birmanesa, tem pêlo branco e olhos azuis.

Tem duas amas, que a acompanham 24 horas, e um nutricionista. 

Foi capa da Vogue Brasil (ao lado de Gisele Bundchen), inspirou coleções da marca do designer alemão, tem um livro, e uma conta no Instagram com mais de 118 mil seguidores - choupettesdiary

 

A gata tem uma conta bancária e, na impossibilidade de passar diretamente a herança ao animal de estimação, há a hipótese de ser criada a figura de pessoa moral para cuidar de Choupette, que poderá ser uma fundação ou associação.

 

Choupette pertencia ao modelo francês Baptiste Giabiconi que a deixou duas semanas em casa do designer alemão. Quando Giabiconi regressou de viagem, o estilista disse-lhe: "Sinto muito, a Choupette é minha". A partir daí, tornaram-se inseparáveis. 

 

 

 

 

Dia do animal de estimação

Felizmente são tantas as datas,  dedicadas aos pets, e ainda bem, que acabamos sempre por deixar passar alguma. Estava a ver  jornal das 8 da tvi, e quando percebi, não a quis deixar passar. Na reportagem mostrava uma câmara, de São João da Madeira,que tinha dois felinos  a tempo inteiro e onde os empregados podiam levar os seus animais de estimação pro trabalho.

 

Sobre esta data, a proposta vem da América e propõe que neste se  mime o  animal de estimação e lhe  mostremos o quanto nos importamos com ele ou eles.

 

diaanimal.jpg

 

 

 

  • Blogs Portugal

  • Pág. 1/5