Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Grávida, e com gatos em casa. O que fazer?

A pedido da Marta, venho falar da questão de ter gatos durante a gravidez. Há um grande mito sobre a toxoplasmose e por vezes, erradamente, os médicos aconselham as grávidas a encontrar outra casa para os seus gatos.

 

No entanto, estes médicos desconhecem o ciclo da toxoplasmose e o baixo risco de transmissão pelos gatos, o que é natural uma vez que já começam a entrar na área da medicina veterinária. Este tópico também já foi abordado no meu site, O Meu Animal, e deixo aqui o link caso alguém esteja interessado em ler mais sobre o assunto.

 

 

Em primeiro lugar, muitas pessoas (principalmente as que têm gatos) já entraram em contacto com a toxoplasmose e são imunes, o que impede futuras infeções. Para alguns, esta infeção com a toxoplasmose causou sitomas semelhantes a uma gripe e rapidamente passou. Sintomas mais graves são raros. Por isso, a primeira coisa que a gravida ou uma mulher que esteja interessada em engravidar deve fazer é determinar se é imune (se tem anticorpos) ao toxoplasma. Se for imune já não há qualquer risco de voltar a infetar. Se não for imune, então deverá tomar precauções pois o toxoplasma pode causar defeitos no feto.

 

Para compreender o risco de infeção devemos conhecer o ciclo do toxoplasma. O toxoplasma é transmitido pelas fezes do gato, que é o hospedeiro definitivo (onde o toxoplasma de reproduz sexuadamente). O gato contamina-se ao entrar ao ingerir alimentos ou água contaminados com toxoplasma, incluíndo presas que sejam hospedeiros intermediários (onde não há reprodução sexuada).

 

No entanto, os gatos só se infetam uma vez na vida e só libertam o toxoplasma nas fezes durante 3 semanas! Após a primeira infeção, os gatos tornam-se imunes. Ou seja, em toda a vida do gato, só durante estas 3 semanas é que poderá transmitir o toxoplasma à dona. E isto só ocorre através da ingestão do toxoplasma que se encontra nas fezes, o que é relativamente fácil de evitar com medidas de higiene.

 

 

Relativamente aos gatos, poderá testar se são imunes à toxoplasmose e se não forem, evitar alimentar o gato com carne crua para evitar a transmissão. Evitar a transmissão por carnes cruas também implica restringir o comportamento de caça do gato. Se o gato for imune, já foi exposto à toxoplasmose e já não voltará a libertar nas fezes.

 

Se o gato não é imune, a gravida deverá ter mais cuidados. Uma vez que o toxoplasma pode estar presente nas fezes, o maior risco está na limpeza da caixa de areia. Deverá limpar a caixa de areia 2 vezes ao dia, usando luvas e lavando bem as mãos de seguida, ou até pedir alguém que auxilie na limpeza. Mesmo sem risco de toxoplasmose, é sempre recomendado ter estes cuidados por uma questão de higiene.

 

Mas a toxoplasmose não é só transmitida pelos gatos. Pode estar presente nos vegetais, carne crua, e até na própria terra do jardim. Por isso, é importante lavar sempre bem as mãos e os utensilios de cozinha, cozinhar bem a carne, lavar os vegetais e usar luvas no jardim.

 

Como podem ver, a toxoplasmose ser um grande risco para as grávidas é um mito. Há cuidados que se devem ter, mas nada muito difícil de implementar. 

 

 

 

  • Blogs Portugal

  • 6 comentários

    Comentar post