Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Leishmaniose nos gatos

Há tempos a Marta pediu-me para falar sobre a Leishmaniose nos gatos, se existe ou não. Como sabem, a gestão de tempo é uma coisa complicada. Mas como o prometido, hoje estou cá para falar deste assunto. Como achei relevante, também lancei o mesmo tema no nosso site com um tom mais sério.

 

Os gatos podem ter Leishmaniose?

Sim, os gatos podem ter leishmaniose, no entanto esta doença é ainda pouco conhecida. Como sabem, a leishmaniose é uma doença parasitica transmitida por um mosquito. É uma doença crónica tradicionalmente de cães, adquirindo a doença quando são picados e transmitindo-a ao próximo mosquito que o pique. 

 

34-Leish-JFMS-Fig.1.jpeg

 

Porque é que os gatos estão agora a ter Leishmaniose?

Estamos a vacinar os cães contra a Leishmania e também a protegê-los com coleiras repelentes. Isto faz com que os cães deixem de ser reservatórios da doença e também afasta os mosquitos de os picarem. O que acontece é que os mosquitos precisam na mesma de se alimentar do sangue de um mamifero, e nestas condições acabam por picar os nossos gatos.

 

Porque é que a Leishmaniose é pouco conhecida nos gatos?

A Leishmaniose é tradicionalmente uma doença de cães, aparecendo de forma crónica e identificada pelos donos normalmente pelo mau aspeto da pelagem e crescimento anormal das unhas. No entanto, os gatos parecem ter uma resistência inata ao desenvolvimento da doença. Ou seja, o seu sistema imune consegue lidar com o parasita e evitar a degradação do estado de saúde. Em raros casos, o sistema imune está debilitado (por exemplo, no FiV/FelV) e aparece então a Leishmaniose nos gatos. Esta apresenta sintomas como alterações no pelo (por vezes com úlceração), problemas oftalmicos e sinais sistémicos, como perda de apetite ou aumento dos gânglios linfáticos.

 

O que podemos fazer para evitar a Leishmaniose nos gatos?

Infelizmente não existem ainda vacinas para gatos e as coleiras repelentes são normalmente dedicadas a cães, devido à maior sensibilidade dos gatos aos fármacos utilizados nestas. Um método eficaz de proteção é evitar o contacto com o mosquito. Se o gato estiver dentro de casa, será fácil evitar o contacto fechando as janelas ou colocando redes de proteção na janela. Para os gatos que vão ao exterior, deve evitar-se a saida no crespúsculo que é quando os mosquitos estão mais activos.

  • Blogs Portugal

  • 1 comentário

    Comentar post