Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Onco Miaus!

o4.jpg

o3.jpg

o1.jpg

o2.jpg

Já ouviram falar dos Onco miaus?

 

Transcrevo a sua história, na qual estou orgulhosa da Instituição ter implementado.

 

 O IPOLFG tem nos seus jardins 2 a 3 colónias de gatos, cerca de 20 animais, que sobrevivem com a ajuda alimentar de alguns funcionários e vizinhança.


A presença de gatos de rua ou semi-adoptados em aglomerados populacionais sempre foi tolerada por ser uma maneira eficaz e duradoura de controlar a população de ratos sem os prejuízos ambientais dos pesticidas e a sua transitoriedade.

Nos últimos anos tem-se assistido ao investimento na protecção da população de gatos de rua pelas câmaras municipais de modo a controlar a população de ratos nas cidades. São disso exemplo Roma, Istambul, Chicago, Toronto entre outras. Esta protecção passa pelo controlo da natalidade, desparasitação, construção de abrigos e organização de locais de alimentação dos animais.

Os hospitais têm também com frequência a presença de gatos no seu recinto. A realidade Portuguesa tem já alguns exemplos de Hospitais que se responsabilizaram pelas suas colónias providenciando-lhes abrigo, alimento e cuidados veterinários. O exemplo mais conhecido é o do Hospital de São João no Porto, mas  o Hospital de Santo António, também no Porto foi pioneiro nesta acção. 

A nossa colónia de gatos foi adoptada após uma proposta à Administração. A Dra.. Paula Rodrigues ficou responsável por iniciar um projecto de modo a proporcionar condições de vida digna aos animais e permitir que façam o seu trabalho ancestral ao serviço da humanidade.

Das nossas sugestões iniciais:
1.Identificação e contagem dos indivíduos pertencentes à colónia;
2.Parceria com entidade para colocação de chip, esterilização, desparasitação e eventualmente vacinação (se adequado);
3.Construção nos jardins do IPOLFG de abrigos de gatos de exterior, locais para colocação de comida e água. Preservar nos jardins locais protegidos (áreas de mato alto – sem limpeza do terreno para permitir protecção à colónia e diversidade ambiental).

Foram já construídos abrigos transitórios com material reciclado – caixas de esferovite forradas com plástico utilizadas para o transporte de medicamentos que foram colocadas na área de bosque entre o parque superior e o médio da Praça de Espanha.
A alimentação está ser efectuada como sempre por um grupo de protectores da UCII, UTM e CIPM. Se não menciono alguém é por desconhecimento. 
O grupo da UCII tem mantido o local onde os gatos se alimentam (em frente da esplanada do pavilhão novo) mais limpo substituindo regularmente as tacinhas de comida e água e comprou um dispensador de ração seca e maioritariamente comida pelos pombos…. Também fizemos uma “Ficha Clínica” de alguns gatos com fotografia a quem conseguimos fazer desparasitação externa e interna.
A Dra. Paula Rodrigues contactou com a Câmara Municipal de Lisboa para se proceder à esterilização da colónia que tem tido muitos revezes. Penso que até agora os gatos não têm cooperado na captura pelo pessoal da CML.
Gastávamos que esta página permitisse que todos soubéssemos o que os outros estão a fazer e que conseguíssemos coordenar as acções.

Quem quiser saber mais, pode visitar a página do facebook da Super Liga de Amigos dos animais do IPOLFG.

  • Blogs Portugal

  • 2 comentários

    Comentar post