Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

A importância da água para os gatos de rua

É sempre importantes que os gatos de rua  tenham água, principalmente neste tempo quente de Verão. É uma preocupação que tenho, praticamente todos os dias, vou com um garrafão substituir a água deles e limpar o recipiente para que não fique com  lodo verde! Tenho vários recipientes espalhados aqui pelo local, a que chamo colónia!

Até os passarinhos lá vão beber água!

IMG_20210821_133851_BEAUTY.jpg

SquarePic_20210822_00140250.jpg

SquarePic_20210822_12210970.jpg

SquarePic_20210822_12213596.jpg

SquarePic_20210824_18252316.jpg

 

SquarePic_20210820_17402661.jpg

Coisas que a maioria dos os gatos não gostam

Andei a fazer uma pesquisa sobre o que os gatos, normalmente não gostam, para tentar não expor os meus a essas coisas.

Barulhos altos, tipo gritos, fogo de artificio, aspirador, trovoadas, causa-lhes  stresse.

Pessoas desconhecidas, causa-lhes medo, por isso se escondem.

Alteração na rotina, são animais metódicos, detestam mudanças.

Segura-los forçadamente ao colo, não gostam de se sentirem presos;

Cheiros fortes, como vinagre, cebola, gasolina, bebidas alcoólicas, entre outros.

Água , têm essa aversão, mesmo que sejam só umas gotas a cair em cima ou nas patas.

Balões, eles os confundem com um predador e sentem-se ameaçados

Que os olhemos fixamente, principalmente se forem pessoas estranhas, eles podem se sentir ameaçados, e, até podem atacar.

meu_gato_me_olha_muito_e_mia_22595_2_600[1].jpg

A água e os gatos

de_que_depende_a_ingestao_de_agua_22144_0_600.jpg

Já por diversas vezes me questionei sobre a quantidade de água que deveria dar aos meus gatos e como saber e controlar quando se tem dois ou mais.

Quando um dos meus felinos  teve uma segunda infeção urinária, a veterinária sugeriu que poderia ser falta de água, já que a alimentação era adequada.

Encontrei um site que dizia que um gato adulto de 5 quilos deveria beber 250 ml de água por dia. Parece ser muito. O Rafael não bebe essa quantidade. O Riscas já o vejo mais vezes a beber. Também não tenho como confirmar, mas é quase certo, que não bebem essa quantidade.

Também li que há formas de os fazer beber mais água, uma delas é ter uma fonte daquelas para gatos, e/ou espalhar recipientes pela casa.

A fonte por causa dos fios, não seria bom para eles. Eles têm a mania de morder fios...

E por aí também se preocupam com a quantidade de água que os vossos gatos bebem ou deveriam beber!?

 

Como separar dois gatos em guerra

Resultado de imagem para luta de gatos

 

 

É caso para dizer que "Em briga de gatos não se mete a mão!".

Nem o pé, nem qualquer outra parte do corpo.

Eles estão assanhados, bravos, focados no rival, e qualquer intervenção mal feita pode resultar mal para o nosso lado. Os níveis de stress e adrenalina encontram-se no máximo, e eles ficam ainda mais nervosos, direccionando o ataque contra nós.

 

 

Já não é a primeira vez que assisto a luta de gatos na minha rua ou mesmo no meu quintal, entre os gatos dos vizinhos.

E em algumas delas, sou mesmo obrigada a intervir.

Quando eles estão apenas parados, a "discutir" verbalmente um com o outro, a situação não será muito grave. O pior é quando passam à agressão física.

 

 

Hoje de manhã estava o Branquinho e o Tareco a discutir no meu quintal.

Tentei a táctica da aproximação, que por vezes basta para que vá cada um para seu lado, mas nem me ligaram nenhuma.

Fui a casa buscar o saco da ração, para ver se a gula do Branquinho levava a melhor, mas olhou para mim com aquele focinho de "A sério? Estou no meio de uma discussão, e tu queres que eu coma?".

Deixei-os estar. Tinha que me despachar e não podia estar ali de volta deles. Ia vigiando da janela do quarto, enquanto fazia a cama. 

Até que a coisa evolui para a agressão física, os dois engalfinhados um no outro, pelo branco a voar por todos os lados, e o Braquinho com a pata no outro, à espera para dar o golpe final.

A Chica ouviu os rapazes, e veio ver o que se passava.

E eu, fui ter com eles, munida com água para os borrifar e refrescar os ânimos.

Remédio santo!

 

 

O Branquinho, só de me ver com a água, parece ter saído do transe em que se encontrava, mas não se livrou de levar com umas pingas. Gosto muito dele, mas tenho que ser justa: é ele que vem provocar o outro, que está no seu território, e o vê invadido por um estranho brigão. 

Já o Tareco, aproveitou a distracção do Branquinho para fugir!

 

 

Li agora que também os podemos tentar afastar com uma vassoura. Para a próxima ainda experimento.

Mas nunca, em momento algum, se deve bater nos gatos. Nem mesmo naquele que inicia ou provoca o outro porque, afinal, é apenas o instinto deles a falar mais alto e a manifestar-se.