Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Dica - Manual Merck para ajudar a perceber melhor as doenças que afectam os nossos gatos

Todos nós que temos, já tivemos ou iremos ter, um animal de estimação, no nosso caso gatos, ao longo da vida destes, somos confrontados com o inevitável surgimento de doenças. Umas numa fase precoce das suas vidas, quando ainda bebés, outras na sua fase geriártrica. Umas mais comuns e de fácil resolução, outras, mais complicadas e que podem mesmo acabar por ser mortais. 

Por muito que tentemos retardar o seu aparecimento, com todos os cuidados que nos estão disponíveis e são-nos possíveis, às vezes, o inevitável acontece. E lá vem a doença xpz... Dos primeiros sintomas, à bateria de análises, exames e depois até ao diagnóstico, as dúvidas, os receios e os medos vão-nos assaltando a mente.

Fala a voz da experiência... que nessas alturas, por norma, quer saber tudo e mais uns trocos, sobre o que está a afectar o bem-estar dos seus miúdos. E que tantas vezes recorre ao google para procurar algo que a informe, esclareça e afaste os seus piores pesadelos. Mas o que encontra é muita informação sintetizada e pouco esclarecedora.

Fala ainda a voz da experiência... que encontrou a versão Merck veterinária. Em inglês. Mas de muito fácil leitura. E que pode ajudar naquela dúvida que nos esquecemos de perguntar ao veterinário, isto a título de exemplo.

Para quem não conhece O Manual Merck (versão humanos) é dos livros mais vendidos no mundo. Já devem tê-lo visto na mesa/estante no gabinete dos vossos médicos assistentes. É aquele livro vermelho e de lombada volumosa. Nele vêm de forma "catalogada" todas as doenças conhecidas.

Já o Manual Merck, versão veterinária, é um referencial dirigido aos cuidados com a saúde animal. Utilizado por veterinários, estudantes ou até mesmo tutores. E ao contrário de muitos sites que pela net aparecem quando navegamos... este é, digamos, mais seguro para procurar e esclarecer as nossas dúvidas.

Podem consultá-lo aqui:  Merck

Sem Título.png

 

International Cat Care - um site a ter nos favoritos

 

 

 

Da última vez que fui ao Hospital com o meu Jaqui, trouxe para casa, uma pequena brochura informativa acerca das cat Friendly clinics.

 

Um dos tópicos que me chamou mais à atenção, parte interessada no assunto, foram as dicas para tornar a ida ao veterinário... menos stressantes... para o gato e para nós.

 

De forma sucinta abordava as melhores praticas desde o momento "terrível" para os apanhar e colocar na transportadora, até ao seu regresso a casa e, se for caso disso, a reintrodução com os outros.

 

Na mesma brochura faz referência ao site da ISFM (International Society for Feline Medicine - organização global que se dedica a fornecer informação aos médicos veterinários) o - www.fabcats.org

 

Pensei que devia partilhar pois... queremos o melhor para os nossos gatos e se soubermos de dicas que possam ajudar outros tutores, melhor! 

 

No site, podemos encontrar informações bastante úteis, diria valiosas, acerca dos nossos felinos. As tais dicas que referi anteriormente e não só!

 

Só a título de exemplo podem encontrar:

 

- Uma descrição das várias raças de gatos,

 

- Gatos em colónias - como os ajudar, têm um manual para dowload gratuito,

 

- Um dicionário sobre as principais patologias que afetam os gatos,

 

- Clínicas Cat Friendly... em Portugal, 

 

- Como e qual a melhor forma de administrar a medicação em casa - em vídeos,

 

- Vídeos com as melhores práticas e técnicas de "manipular" os gatos - por exemplo - o que fazer para os convencer melhor a entrarem na transportadora,

 

- E muito mais...

 

Espero que vos possa ajudar!

=^._.^=

 

 

 

 

Dicas de como se dar um remédio ao nosso gato

Quem já não levou uma boa meia dúzia de  bufadelas, arranhões e até mesmo mordidelas... na altura que se tenta enfiar o comprimido pela boca abaixo dos bichanos?

 

Phot.jpg

 

Foto Valery Kudryavtsev 

 

É que isto de dar um comprimido a um gato pode-se tornar numa autentica saga...

Como te compreendo Anabela!

Pois...

Recentemente tive essa experiência. Quando o meu Jaqui esteve com um episódio de cistite aguda. Os primeiros 3 dias, com duas tomas diárias. Duas seringas de manhã e duas à tarde, cada uma com o respectivo anti-inflamatório e analgésico. Mais uma cápsula também essa a ser dada duas vezes ao dia... durante 30 longos e extenuantes dias. E se, quase se vomitava todo com o sabor duma das seringas... nos primeiros dias com a cápsula, a rotina era... a lembrar o "Apanha se puderes"...

... apanhas a drageia que voou da minha boca para o chão e me tentas segurar, num intervalo de... 5 segundos?!

Para nem lembrar que no início eram precisas duas pessoas para o segurar. Mas, a partir do meio do tratamento já conseguia dar-lhe sozinha! Grande vitoria!!!

 

Como o fiz?!

Não vou explicar... deixo-vos o video. Com paciência e amor... qualquer um dos métodos resulta!

Boa sorte!...

(^..^)ノ

 

A caixa transportadora...

... fujam que ela anda à solta...

08a6d47e8212d6e56c21e60c9759bcdd.jpg

Imagem retirada da net e bem ilustrativa do que um gato pode pensar da caixa transportadora!

 

Quem me conhece e segue sabe que tenho quatro gatos. E como qualquer tutor, também eu por diversas vezes já me vi confrontada com o dilema de ter de ir com um deles ao veterinário. Que por si só já é motivo de stress para o gato. Agora se a isso juntarmos a caixa transportadora, à que ele já associou com idas ao vet... Então temos o caldo entornado. Mesmo quando o consultório ou hospital é cat friendly

Bom mesmo, é podermos atempadamente, programar a sua ida. Podermos dispor de tempo e colocar antecipadamente, a caixa transportadora, perto do sítio onde o gato passe mais tempo. Melhor mesmo é tê-la sempre lá. Para quem tem mais que um gato e precisa de ter mais do que uma transportadora, em termos de logística não dá. Têm de estar arrumadas. Só que, acontecem situações que nos fogem ao controle e em que temos de agarrar no gato e levá-lo a uma urgência. Mas, se em vez de um, tiverem de ir dois ou mais ao mesmo tempo?

Stress a duplicar... triplicar... quatriplicar???  

Calma...

O que aprendi, por experiência própria, é que nós, para além da caixa, podemos ser um dos motivos da causa de stress do nosso gato. Seja er de ir um ou mais ao mesmo tempo. Isto serve para todos!

Pois é...

O facto de estarmos alarmados, em stress, com qualquer alteração que o nosso bichano apresente. Sinais como um rosto fechado, poucas palavras, ou, alteração dos nossos movimentos dentro de casa. Falar mais alto e apressadamente. Juntando a isto, ali mesmo à sua frente, aparece a caixa vinda dos confins do inferno...  São indicadores para o gato achar que algo de errado se passa.

Ora pensem lá...

Sendo o gato um animal de rotinas está habituado a que, todo o santo dia, tudo se passe da mesma forma. Tranquilo e sem stresses. Ao ver-se confrontado com uma situação que lhe escapa ao controle, o seu instinto de sobrevivência fala mais alto. Tem medo. Pode sentir que a sua vida está em perigo e se até aqui tínhamos um gatinho mansinho, amante de colo de umas boas festas, num piscar de olhos passamos a ter um tigre da malásia à solta no meio da casa.

Já passei por isto e sei como é.

O que fiz, faço?!

Sabendo, à partida, que estamos a ser observados pelo nosso gato, seja onde for e a que horas forem. Ou não fossemos nós ratos de laboratório e objecto de estudo aprofundado do nosso gato... Toda e qualquer precaução que possamos tomar, para não stressar o nosso patudo e colocá-lo em risco de vida é bem vinda. E começa-se pelo mais difícil... Não stressar. Não entrar em pânico. Respirar fundo, tentar acalmarmos-nos e a quem ao nosso lado está. É, por si só meio caminho andado!

Na hora de o colocar na caixa, pode ajudar:

Anteriormente termos colocado a mantinha preferida dele, com o seu cheirinho. Colocar um pouco de catnip vai desviar a atenção do gato e dar-nos tempo para fechar a porta antes que ele se lembre de iniciar uma fuga desenfreada. A maioria dos gatos adora a erva gateira e os meus não são excepção. Tenho sempre um frasco em casa. Existem ferormonas no mercado que permitem ao gato ter uma sensação de conforto na caixa, mas têm de ser aplicadas uns 30 minutos antes. E se formos, de certa forma, de urgência, não há tempo para esperas. 

Na hora de agarrar-mos no nosso piqueno, fazê-lo como se fossemos fazer-lhe as habituais festinhas, o mimo a que está habituado. E quando o sentirmos mais relaxado... "convida-se-o" a entrar na transportadora. Às vezes... lá tem de ser tracção às 4 patas. Prender as dianteiras e as traseiras e enfiá-los na caixa. Mas sempre com uma atitude confiante e vitoriosa. Apesar dos arranhões garantidos. 😎😋 

Colocar uma manta por cima da transportadora também pode dar-lhes uma sensação de tranquilidade, para além de, se estiver frio e vento os agasalhar.

Há vinda do veterinário, deve-se lavar a transportadora, para uma próxima ida. É que para além da normal libertação de hormonas do medo que ficam "agarradas" às paredes da caixa, dos cheiros do consultório que o gato traga, podem ainda acontecer outro tipos de acidentes. O gatinho com o susto não conseguir controlar-se... e fazer as suas necessidades. Dá sempre jeito  levar sempre mais uma mantinha ou até mesmo as fraldas à venda nas lojas ou hipermercados, próprias para animais. 

Espero que tenha sido útil!

😻

 

 

 

 

 
 

E se o teu gato de repente começar a urinar às pinguinhas isso é...

... um tremendo susto.

Jaqui foto.jpg

 

Foi o que se passou sábado passado.

Tinha acabado de regressar a casa, por volta da hora do almoço e dei com o Jaqui a ir à sua sanita. Até aqui nada que me fizesse suspeitar de que algo de errado se passava. Só o facto de ele não ter tapado a areia como é costume dele é que me despertou a atenção.

 

Para quem não conhece o Jaqui... qualquer semelhança entre ele e uma retroescavadora em modo descontrolado... é pura coincidência. Ah se há bicho que gosta de cavar na areia à procura de um tesouro perdido.... é ele. E se algum dos "coleguinhas" deixa mal tapado o serviço o senhor gato vai lá, confirma, passa multa e ainda acaba a obra!

 

Ora, não o ter ouvido nas suas deambulações escavatorias... alertou-me. Isto uma vez, outra vez e outra vez...

Mas o que se passa com o bicho que não sai da porta da casa de banho? (onde está uma das sanitas deles) Pensei...

Alertada, numa dessas n idas num espaço de 40 minutos, dou com ele e confirmo que o que ele lá ia fazer e sempre com urgência... era um pinguinho de urina de cada vez. Saía e ia logo limpar-se.

 

E assustei-me.

 

A primeira coisa que me ocorreu à mente foi que isto poderia ser uma infecção urinária. E se for de origem bacteriana? Tendo eu outros 3 gatos já estava a ver no que isto ia dar... Quatro gatos com problemas urinários todos ao mesmo tempo.

 

Mais uma vez... vou de escantilhão para o hospital veterinário. 

 

Só posso dizer que o gato foi visto, observado e analisado da ponta da orelha à ponta da cauda, como aliás de sempre que lá vou eles são observados. Análises ao sangue para ver como estavam os parâmetros renais. Cretatinina dentro dos parâmetros normais! Logo, os rins estavam bem. Restava-nos a hipótese de ser uma infecção bacteriana. O meu maior receio. Mas para se confirmar teria de ser feita uma colheita de urina e depois esperar pelos resultados. 

 

Vamos a isso.  Ou íamos a isso. Vai uma primeira tentativa. Nada. Aguardar na sala de espera. Nova tentativa e nada.  Duas ecografias à bexiga e o maroto não tinha urina para recolha... e agora? Esperar novamente na sala? Da primeira para a segunda, a eco dava a indicação de que pouco ou nada a bexiga dele "crescera"... 

 

Resolveu-se, numa primeira fase medicar para as dores e dar anti-inflamatório. Por muito colaborante que estivesse, já estava a ficar maçado. Para não o stressar mais voltámos para casa com mais medicação, um diagnóstico de cistite aguda (post mais detalhado - em breve) e com a indicação de no dia a seguir (ontem) reportar feedback à veterinária. Caso continuasse com a mesma sintomatologia teria de ir fazer a recolha de urina. 

 

Felizmente, até ao presente momento está melhor, não voltou a procurar a sanita com a urgência como a de sábado passado e das vezes que vai...

Voltei a ouvir o Cantar da Areia!

 

Temas relacionados

Os gatos e as infecções urinárias

Ração húmida... Prevenção de Doenças

Incontinência urinária

 

 

Kiko... que para além de querer ser paraquedista...

... já teve direito ao seu retrato personalizado...

 

Calma...

O meu gato não é um paraquedista.

Até que podia ser!

Caso a Força Aérea estivesse ou venha a estar interessada em gatos voadores.

É que de certeza que este pirralho se alistava logo.

Tal continua a ser a mania dele em se lançar para cima das portas.

 

Mas enfim...

Hoje quero partilhar convosco uma das minhas grandes e recentes paixões. O desenho.

E porquê aqui e não no meu blog pessoal? Devem estar-se a perguntar... Como se a resposta não fosse óbvia...

Já o fiz, mas...

Um blog que aborda gatos, temas sobre gatos. Ou seja, o mundo felino em geral... também pode abordar arte sobre gatos. Certo?! 

Sendo eu uma apanhadinha na curva por gatos, ou não tivesse 4 em casa e mais uns afilhados por aí, ainda mais sentido me parece fazer!

 

Pelo que...

Eis o Kiko retratado aos 15 dias depois de conhecer a sua para sempre casa. Na altura com 2 meses e meio de vida. Está já com oito meses.

Como o tempo passou depressa...

20181006_171835.jpg

Este é um dos meus primeiros desenhos. Ainda que um esboço para um futuro desenho mais detalhado. Estou a pensar, um dia, quando ele já for adulto, fazer uma composição do tipo... o antes e o depois.

É claro que ainda preciso de aperfeiçoar a técnica e todos os dias, ou quase, assim o dia me permita, tento aprender um pouquinho mais e melhorar o traço. Pois o desenho é todo ele a lápis de cor em folha de papel própria. 

43497206_1663971963714750_8164457067025793024_n.jp

Esta foi a foto que usei de referência

 

Quem sabe se um dia destes...

Venho para aqui e ofereço os meus serviços de retratista de gatinhos! E quem quiser poderá ter o/a seu/sua mais que tudo, num belo retrato, em destaque na parede do seu lar!

O que pensam desta minha ideia?

Interessados/as?!

😊😻

 

 

 

Nunca convides o teu gato para ver...

... um espectáculo do Cirque du Soleil...

É que depois pensa que pode.

 

 

Quando adoptei o Kiko... a alcunha, ou se preferirem nickname, que lhe tinham dado era o...

Paraquedista...

Aaaahhhh??? Paraquedista???

Ainda perguntei, mas a resposta esfumou-se por entre um... depois verá...

Pois...

A sensação com que fiquei foi estranha. Será que a Força Aérea agora anda a recrutar gatos? O puto só com 2 meses de vida e já tinha ingressado nas forças aéreas?

Nos dias que se seguiram a única coisa que voou lá em casa, ou algo assim do género, foi somente eu a correr para o hospital veterinário. Com ele a tiracolo.

É certo que ele é... hiperactivo, que não pára quieto. Mas paraquedista... não?

E o tempo passou...

Ao fim de 4 meses dele estar cá em casa finalmente descobri porquê...

49517107_1783250375120241_5960555931216379904_n.jp

49522518_1783250401786905_3166134798372569088_n.jp

Alguém me arranja um paraquedas para o puto???

Puuurrrrrlease....

😶🙄😂

 

 

 

 

 

 

 

 

 

🤣🤣🤣 Como dar um comprimido a um gato...

Li este texto no facebook e não resisti a partilhar!

Desconheço a sua autoria.

Mas só posso dizer... que consigo me rever nalguns episódios!...

 

giving-a-cat-a-pill.jpg

 

1. Pegue o gatinho e aninhe-o no seu braço esquerdo como se segurasse um bebê. Coloque o indicador e o polegar da mão direita nos dois lados da boquinha do bichinho e aplique uma suave pressão nas bochechas enquanto segura o comprimido na palma da mão. Quando o amorzinho abrir a boca atire o comprimido lá para dentro. Deixe-o fechar a boquinha e engolir.

2. Recupere o comprimido do chão e o gato de detrás do sofá. Aninhe o gatinho no braço esquerdo e repita o processo.

3. Vá buscar o gato no quarto e jogue fora o comprimido meio desfeito.

4. Retire um novo comprimido da embalagem, aninhe o gato no seu braço enquanto lhe segura firmemente as patas traseiras com a mão esquerda. Obrigue o gato a abrir as mandíbulas e empurre o comprimido com o indicador direito até o fundo da boca. Mantenha a boca do gato fechada enquanto conta até dez.

5. Recupere o comprimido de dentro do aquário e o gato de cima do guarda-roupa. Peça a ajuda de alguém.

6. Ajoelhe-se no chão com o gato firmemente preso entre os joelhos, segure as patas da frente e de trás. Ignore os rosnados baixos emitidos pelo gato. Peça ao seu ajudante que segure firmemente a cabeça do gato com uma mão enquanto força a ponta de uma régua para dentro da boca do gato com a outra. Deixe cair o comprimindo ao longo da régua e esfregue vigorosamente o pescoço do gato.

7. Vá buscar o gato no trilho da cortina e retire outro comprimido da embalagem. Tome nota para comprar outra régua e consertar as cortinas. Cuidadosamente varra os cacos das estatuetas e dos vasos do meio da sala e guarde-os para colar mais tarde.

8. Enrole o gato numa toalha grande e peça ao seu ajudante para se deitar por cima de forma que apenas a cabeça do gato apareça por debaixo do sovaco. Coloque o comprimido na ponta de um canudinho de beber, obrigue o gato a abrir a boca e mantenha-a aberta com um lápis. Assopre o comprimido do canudinho para dentro da boca do gato.

9. Leia a bula inclusa na embalagem para verificar se o comprimido faz mal a humanos, beba uma cerveja para retirar o gosto da boca. Faça um curativo no antebraço do seu ajudante e remova as manchas de sangue do carpete com o auxílio de água fria e sabão.

10. Retire o gato da garagem do vizinho. Vá buscar outro comprimido. Abra outra cerveja. Coloque a desgraça dentro do armário e feche a porta até o pescoço de forma que apenas a cabeça fique de fora. Force a abertura da boca do gato com uma colher de sobremesa. Utilize um elástico como estilingue para atirar o comprimido pela garganta do gato abaixo.

11. Vá buscar uma chave de fendas na garagem e coloque a porta do armário de novo nos eixos. Beba a cerveja. Vá buscar uma garrafa de whisky. Encha um copo e beba. Aplique uma compressa fria na bochecha e verifique a data de quando tomou a última vacina contra tétano. Aplique compressas de whisky na bochecha para desinfetar. Beba mais um copo. Jogue a camiseta fora e vá buscar uma nova no quarto.

12. Telefone aos bombeiros para virem retirar o maldito do gato de cima da árvore do outro lado da rua. Peça desculpa ao vizinho que se espatifou contra o poste, enquanto tentava desviar-se do gato em fuga. Retire o último comprimido de dentro da embalagem.

13. Amarre as patas da frente às patas de trás do filho da puta do gato, com a mangueira do jardim, e em seguida prenda firmemente à perna da mesa da sala de jantar. Vá buscar as luvas de couro para trabalhos de jardinagem na garagem. Empurre o comprimido para dentro da boca da besta seguido de um grande pedaço de carne. Seja suficientemente bruto, segure a cabeça do corno na vertical e despeje-lhe um litro de água pela goela abaixo para que o comprimido desça.

14. Beba o restante do whisky. Peça ao seu ajudante que o leve ao pronto-socorro e sente-se muito quieto enquanto o médico lhe costura os dedos, o braço e lhe remove os restos do comprimido de dentro do seu olho direito. A caminho de casa ligue para a loja de móveis para encomendar uma nova mesa de jantar.

15. Trate de tudo para levar o bichano ao vet. Ele que fique arranhado!

My name is Bond... Kiko Bond!😺

Olá miaus!

Eu sou o Kiko!

Só Kiko! O título é uma alusão aos meus filmes preferidos.... os do 007... nos quais me inspiro e depois tento recriar no meu quarto! 

Fez no sábado passado 15 dias que conheci a minha humana, a Loulou.

Ela certamente que já vos deve ter contado como foi o nosso encontro. Senão leiam aqui.

Enfim, ela não assume mas foi daqueles amores ao primeiro olhar! Mas também pudera quem resiste a um moço laranja, como eu, e  com um olho assim azul-esverdeado?

Ninguém...

Kiko.jpg

 

Mas o que é certo é que ainda ninguém perguntou a minha opinião?

Se estou satisfeito com esta minha nova vida?

O que penso dos meus outros irmão do coração, que por sinal são bem mais velhos do que eu?

Ahhhh pois é...

Lá por ser pequenino e ainda não ter 3 meses de vida, não quer dizer que não tenha uma opinião formada.

Querem saber qual é? 😺

Então leiam esta minha história amigos miaus! 

Um episódio que mudou a minha vida para sempre. Eu sei que só ainda tenho dois meses mas, basta um segundo para tudo mudar e isso não importa se temos um dia, um mês ou n anos de vida.

Tudo estava a correr bem, a minha adaptação àquela que veio a ser a minha "para sempre" casa estava, e está, a ser um sucesso! Já redecorei o quarto da minha humana, já só me falta o resto da casa! 😹

Os manos mais velhos foram-me ensinando alguns truques disfarçados de bufadelas e rosnadelas que é para ela não saber os nossos segredos...

Quando na segunda, ao início da noite comecei com uma crise de diarreia aguda. 😿

Incansável, ligou logo para o hospital, dado o tardio da hora era impossível encontrar um consultório aberto e como pequenino que sou, poderia correr o risco de desidratar. Fomos atendidos eram umas 10h30 da noite, por uma simpática doutora. Também ela se apaixonou logo pelo tom do meu pêlo, para não falar do meu olhar sedutor... Eu bem vos disse que gostava dos filmes do Bond! 😽

Lá, para grande vergonha minha, voltei a fazer diarreia. Mas a reacção que elas tiveram foi bem diferente da que eu pensava. Não se chatearam comigo.

Eu é que acabei bastante irritado. 😾

Pois a seguir, enfiaram-me uma agulha enorme e tiraram-me uma coisa vermelha debaixo da minha pele. Mais tarde vim a saber que se chama análises ao sangue. 

E nesse momento, tive a certeza de que tinha acertado com a minha humana!

Estava com um inicio de uma infecção. Mesmo sem febre ela estava lá. As minhas defesas ainda estavam a reagir, mas seria apenas por mais uma dúzia de horas porque depois... se calhar, já aqui não estava para vos contar esta minha história.

Com muito medo, lá levei antibiótico injectável.

Ai se doeu... 

Voltamos a casa...

Nessa noite, a minha humana nem pregou olho, só para estar atenta a quaisquer sinais que eu pudesse dar. No dia a seguir voltámos lá, mas desta vez, já doeu menos. Ou isso ou saber que agora passaria a antibiótico oral.

Isso foi até conhecer o sabor... 🙀

20180731_202048.jpg

 Na minha segunda ida ao hospital, com a mãe da minha humana!

 

Os dias foram passando, fui aumentado de peso. Estou sempre com muito apetite apesar da minha comida ser dietética. Adoro brincar, especialmente com uns ratinhos com os quais copio algumas das cenas dos meus filmes preferidos.

A diarreia parou, mas as minhas fezes continuaram muito moles. Ando, por estes dias, a tomar um medicamento que me ajuda a regular os intestinos.

Que sabe tão mal...

Depois é que passo para o regulador da flora intestinal... ou lá como é que elas chamam àquilo.

Voltei a ir à senhora doutora, muito simpática, por mais duas vezes e ainda continuo sob vigilância médica. Apesar de agora não ser preciso ir lá tão depressa a não ser para levar mais uma dose da vacina. Sim, já iniciei o meu plano de vacinação e tive de ser desparasitado, ou não fosse a diarria ser causada por algum verme.

Mas vocês nem imaginam a minha sorte. 😺

Uma das minha irmãs, de criação, apanhou uma doença muito grave, causado por calcivirus e esteve muito mal. A minha humana, assim que soube, contactou logo a doutora que esclareceu que o antibiótico que estava a tomar ajudava a combater quaisquer infecções oportunas causadas por esse vírus.

As últimas notícias que tive da minha irmã são de que ela está a recuperar! ❤️

A verdade é esta...

Quando o nosso olhar se cruzou, nunca pensei que pudesse vir a gostar tanto desta humana. 😺😻

Do quando estou feliz por os nossos caminhos se terem cruzado. Apesar de vez em quando me meter numa caixa apelidada de transportadora e ir ao veterinário...

Ela é amorosa, mima-me tanto que às vezes até chateia! Tenta procurar sempre o meu conforto, mesmo naquelas alturas em que estou...ela é que diz... hiperactivo...

Eu não compreendo, apenas gosto de brincar e muito!

🐾

Kiko