Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Coisas que a maioria dos os gatos não gostam

Andei a fazer uma pesquisa sobre o que os gatos, normalmente não gostam, para tentar não expor os meus a essas coisas.

Barulhos altos, tipo gritos, fogo de artificio, aspirador, trovoadas, causa-lhes  stresse.

Pessoas desconhecidas, causa-lhes medo, por isso se escondem.

Alteração na rotina, são animais metódicos, detestam mudanças.

Segura-los forçadamente ao colo, não gostam de se sentirem presos;

Cheiros fortes, como vinagre, cebola, gasolina, bebidas alcoólicas, entre outros.

Água , têm essa aversão, mesmo que sejam só umas gotas a cair em cima ou nas patas.

Balões, eles os confundem com um predador e sentem-se ameaçados

Que os olhemos fixamente, principalmente se forem pessoas estranhas, eles podem se sentir ameaçados, e, até podem atacar.

meu_gato_me_olha_muito_e_mia_22595_2_600[1].jpg

Como encaram os nossos gatos a quarentena dos donos?

thumbnail_IMG_20200405_210842.jpg

 

Num primeiro momento, estranham!

"Estás cá hoje?", deverão eles pensar.

As nossas rotinas alteram-se, e também a deles. 

Podem levar o seu tempo a compreender que, agora, as coisas estão diferentes.  

 

Depois, percebem que, com os donos em casa, a atenção e os mimos redobram. Percebem que podem ter colo disponível durante horas.

E sentem-se no paraíso!

Nesses momentos, devem pensar "podia ser sempre assim".

 

O pior, será quando voltarmos aos velhos tempos. Quando eles tiverem que encarar novamente uma adaptação à realidade, sem donos em casa.

Nem quero imaginar a felicidade de muitos cães, que agora têm os donos por conta deles, e os levam a passear tantas vezes, como nunca antes fizeram, e a tristeza que irão sentir quando tudo isso acabar.

Os gatos também amuam?!

Foto de Becas e Amora.

Sim!

É incrível como podem ser tão ciumentos, tão sensíveis, e ficar tão aborrecidos com os donos, amuando durante horas, só porque as coisas não correram como queriam!

É ainda mais complicado quando se tem dois gatos, e a atenção, colo e mimos tem que ser repartida por ambos, mas em que um exige mais que o outro.

Depois de uma tarde em tarefas domésticas, e depois de ter posto carne ao lume a fazer, sentei-me no sofá um pouco. 

A Amora foi logo para o meu colo, mas ficou a amassaro pãozinho na zona da barriga, pelo que a Becas aproveitou para se deitar nas pernas, e assim fiquei, com as duas ao colo. Mas, a determinado momento, como não tinha mais ninguém em casa e a minha filha ainda ia demorar, tive que ir à cozinha ver a carne.

Coloquei a Amora no sofá, e peguei na Becas ao colo, levando-a comigo num instante, com a ideia de voltar rápido e deitarem-se as duas novamente ao colo.

Mas a Amora ficou chateada por a ter tirado, e a ter deixado no sofá, enquanto a Becas foi comigo, e não quis mais nada comigo o resto do dia!

Eu colocava-a no colo, e ela saía e ia embora. Dali a pouco voltava, olhava para a Becas, que estava ao colo, voltava a colocá-la e ela ia embora. Foi-se deitar sozinha, do outro lado. Meti conversa com ela e ela começou a falar, e rebolar-se no sofá, como que a dizer "deixa aí a Becas e vem ter comigo". Como não o fiz, deixou-se estar amuada. 

Depois de mais uma tentativa da Amora, de mandar a Becas embora, e de eu tentar que ela ficasse ali no colo com a amiga, sem sucesso, foi para o meu quarto, às escuras, sozinha. E ali ficou até a minha filha chegar, hora em que tive que tirar a Becas do colo.

À noite, para castigo, fartou-se de brincar comigo, sendo que a brincadeira dela era vir atrás de mim, sem eu estar à espera, e atirar-se para as minhas pernas, ficando pendurada.

Mas parece que a Becas está disposta a reclamar a sua parte de atenção e, à noite, foi a primeira a chegar à cama e ocupar o lugar que, normalmente, é da Amora. E lá teve a Amora que dormir mais abaixo, porque ainda devia estar a "prender o burro" e não quis ir ter comigo como costume, para entrar dentro da cama, onde tinha dormido grande parte da noite anterior!

Nunca vi uma gata tão ciumenta como a Amora Silvestre!

Os donos de gatos são meio bipolares, não acham?!

 

Longe vão os tempos em que eu não me podia sentar, que logo a nossa Tica me saltava para o colo, onde dormia grandes sestas, por vezes de duas horas ou mais, se eu assim o permitisse.

E, na maioria das vezes, também já me dóia o rabo, as pernas, e até as costas. Já não tinha posição para estar, e ia mexendo um bocadinho de um lado, um bocadinho do outro, ou tentava aguentar o máximo possível, só para não a tirar, já que ela estava tão bem.

No passado fim-de-semana foi com a Amora. Também ela se deitou ao meu colo, enquanto estava a ver exercícios para a minha filha. E com ela a atenção tem que ser a dobrar porque ao mínimo descuido, ela cai para o chão, logo as minhas mãos tem que estar de serviço, e não dá jeito nenhum.

Quando eles saem de livre vontade, é um alívio, não só para o corpo, que agradece a pausa, como para o espírito, porque não fomos nós a tirá-los.

Mas confesso que, por vezes, mesmo involuntariamente (ou talvez não) acabo por levá-las a saltar do colo, como aqui na imagem!

 

E por aí, também já vos aconteceu?

 

Imagem Chiado News