Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Ser dono de gatos é...

Resultado de imagem para donos e gatos

 

...observar como, em tão pouco tempo, eles cresceram e mudaram tanto

...observar todas as pequenas conquistas que eles foram alcançando ao longo do tempo

...saber exactamente de que forma eles mais gostam de brincar

...emocionarmo-nos quando os vemos divertidos e entretidos nas suas brincadeiras, e como estão felizes;ou simplesmente, quando dormem aconchegados no nosso colo, confiando-nos a vida

...rirmo-nos quando, na sua inocência, fazem algum disparate e ficam aflitos, ou quando as coisas não correm como eles planearam, e ficam danados, ou fingem que até nem queriam fazer aquilo, só para não dar parte fraca

...perceber o que eles nos querem dizer, e como se sentem, mesmo não falando o mesmo idioma 

 

 

No outro dia estava em casa sozinha. A Becas, que raramente apanha o colo disponível, aproveitou o facto de a Amora andar a brincar para se deitar no meu colo. A uma determinada altura, cheguei a cara ao pé dela e ela, como que agradecida, colocou-me as duas mãos, uma de cada lado da cara, como se estivesse a fazer-me festinhas.

Enquanto isso, a Amora andava atarefada, a carregar um brinquedo na boca, de um lado para o outro, até que os levou para cima do sofá, do outro lado, onde se fartou de dar cambalhotas, fazer o pino, saltar e enrolar as mantas, até que se cansou, e se pôs a olhar com uns olhinhos tristes para o meu colo, que estava ocupado pela Becas, quando é ela que costuma ter direito a ele.

No dia seguinte, deitei-me na parte maior, e já puderam as duas ocupar o colo, uma mais acima, e a outra mais abaixo. Quentinhas, tapadas com as mantas, até se espreguiçavam e esticavam. E o que eu me ri quando a Becas ficou com os pés de fora!

E, porque os pormenores também fazem a diferença, seria impossível não olhar para a Amora, e ver que está ainda mais bonita agora que os bigodes estão compridos! 

 

Sim, sou uma dona babada! E por aí, o que vos faz embevecer com os vossos bichanos?

Não conheço totalmente as minhas gatas

 

Temos a Becas e a Amora há cerca de 9 meses.

Ainda assim, não as conheço totalmente. 

E apercebi-me disso numa coisa tão básica.

 

O tempo está a arrefecer e se, no verão, as gatas sofriam com o calor e procuravam sítios fresquinhos, agora já sabe bem dormir nas mantas. No outro dia, estava a Becas a dormir no quarto, e a Amora na sala.

E dei por mim a pensar se elas teriam frio, se não seria melhor tapá-las para as aquecer melhor. Mas percebi que não faço a mínima ideia se elas gostam de dormir tapadas ou não!

Acho que nunca o fizemos. Quando eram pequenas, dormiam dentro da cama. Depois, dormiam juntinhas e aqueciam-se uma à outra. Entretanto veio o verão. E agora não faço ideia do que elas gostarão.

A Tica gostava de dormir tapada com mantas, casacos, cobertores.

Quanto à Becas e à Amora, vou ter que descobrir. 

Porque é que os gatos mordem?

Sempre que o Black nos vem fazer uma visita, esfrega-se em nós, dá turrinhas e aceita as nossas festinhas. Mas já me aconteceu, estar a fazer-lhe festinhas e ele esfregar-se na minha mão e, logo em seguida, pregar-me uma dentada!

Porque é que isso acontece? Os gatos mordem por diversas razões.

Os donos podem até pensar que os gatos são traiçoeiros, ingratos ou desleais, mas nem sempre este comportamento é imprevisto ou injusto. Eles lá têm as suas razões.

 

Morder enquanto é acariciado

Há quem diga que isso é uma forma de mostrar que já estão fartos de carícias. Faz parte do espírito livre que lhes é característico. Além disso, os gatos não gostam muito que lhes afaguem a barriga, por isso, convém evitar. Tal como pegar num gato ao colo. Há gatos que não gostam que as pessoas lhes peguem ao colo, e mordem.

 

Morder enquanto brinca

A Tica, por exemplo, adora morder-me a mão quando estamos a brincar! Há alturas em que me agarra a mão com as suas, finca os dentes, e com as patas de trás "pedala" como se esivesse a andar de bicicleta!

Para os gatos, brincar significa ensaiar as técnicas de sobrevivência, para um melhor desempenho quando forem necessárias, e que passam quase sempre pela caça. Ou seja, para os gatos, brincar significa morder e arranhar!

 

Morder quando está doente

Se os gatos estão feridos, ou doentes, podem tornar-se agressivos, principalmente se tocarmos em alguma parte mais dorida.

 

Morder por instinto agressivo

Os gatos que não estão castrados tendem a ser mais agressivos, por isso, uma forma de reduzir essa agressividade é a cirurgia de castração.

 

Morder por tédio

Os gatos que ficam sozinhos durante muitas horas, sem estímulos, tornam-se entediados. E tendem a reagir, brincando de forma agressiva com os seus donos.

 

 

No entanto, existem algumas técnicas que os donos podem utilizar para educar os seus gatos a não morder.

Em primeiro lugar, educação não pode passar por castigos, porque eles os associam a quem os aplica, e não à acção que cometeram. 

 

Para conseguirem que o gato aceite as carícias durante mais tempo, ofereçam-lhe recompensas enquanto este está sentado no seu colo a tolerar ser acariciado. Mas, assim que mostrar sinais de agressão, parem, dando-lhe a possibilidade de ir embora se ele o desejar. 

 

Para evitar que o gato morda enquanto brinca, nunca façam das vossas mãos o objecto da brincadeira, nem mesmo enquanto o gato é pequeno. Utilizem sempre objectos próprios para gatos nas brincadeiras. .(neste aspecto tenho falhado desde o início, porque dou sempre à Tica a mão para ela brincar!)

 

Nunca devemos acariciar os nossos gatos após uma mordida ou arranhão, mas sim demonstrar desaprovação. Caso contrário, eles podem começar a morder para receber carinhos.

 

Da mesma forma, também não devemos alimentá-los logo em seguida, pois podem achar que é uma recompensa.

 

Quando os gatos morderem ou arranharem, devemos experimentar dizer "não!" num tom autoritário e, ao mesmo tempo, apontar o dedo para eles e encará-los com um olhar de desaprovação.

 

Outra técnica é ignorar os gatos por alguns minutos, depois de sermos mordidos ou arranhados. Deixá-los sozinhos e não interagir com eles pode levà-los a associar o mau comportamento a serem ignorados. Claro que esta técnica funcionará melhor com os gatos mais afetivos, que irão sentir a falta da atenção.

 

Por outro lado, poderemos oferecer uma recompensa pelo bom comportamento.