Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Procurar promoções em latinhas para gatos

SquarePic_20211109_13421331.jpg

SquarePic_20211109_12475058.jpg

Estes meus amigos, foram habituados a paté, porque havia uns que não tocavam na ração e pensei que fosse problemas nos dentes. Dei a um, dei a outro e ao fim de uns meses e até anos, tenho esta maltinha toda viciada em latinhas de comida húmida!

Também petiscam ração, mas quando há desta comidinha parecem pequenos aspiradores. Não sou só eu que dou, também há outras pessoas, e  eles sabem bem quem somos!

Só que por vezes ponho-me a fazer contas e descubro que estou a gastar mais com eles, do que até com os meus. Por isso tenho que tentar reduzir os custos, até porque o dinheiro está escasso. Mas não quero deixar de ter sempre alguma desta comidinha na minha dispensa.

Quando vi na prateleira de um supermercado que as latinhas estavam com 50% de desconto em cartão, achei que valia a pena, comprava algumas e depois com o dinheiro que ia para o cartão, comprava mais, já que estou sempre a precisar.

No entanto, não li todas as letras nem consultei o regulamento: só teria 50% de desconto se gastasse no mínimo €25 e o valor a acumular também não seria superior a €50.

Eu trabalho num supermercado e não aprendo a lição. Embora, eu ache que no supermercado onde trabalho as promoções sejam mais vantajosas e mais claras, no meu ponto vista!

Despesas com gatos - quando eles são absolutamente saudáveis e nada esquisitos

Antes de ter gatos, lembro-me de alguém me dizer que só precisava de comprar areia, e havia umas bem baratinhas, uma raçãozita também económica, e dar de vez em quando uma comidinha húmida. Assim seriam felizes e saudáveis!

alimentargatosbarato.jpg

alimentargatoseconomicamente.jpeg

Até pode ser, que seja possível com alguns gatos, mas depois de esterilizados, é complicado ficar pelo mais barato.

Por isso não terei mais gatos, para que mesmo com algum sacrifício, consiga dar aos dois o melhor, para a saúde deles e para economizar em despesas veterinárias!

No entanto, aos gatos de rua, uso esta alimentação, e mesmo assim, não é fácil, porque o dinheiro não é muito!

SquarePic_20211110_15183384.jpg

Também tenho em conta que quando forem esterilizados, terei de arranjar uma ração um pouco  melhor. Areia não precisam, e as latinhas eles adoram estas!

A despesa com a ração, custa menos em promoção!

Saiu recentemente um artigo que escrevi para a revista Maiumagazine. O tema foi sobre as despesas com os felinos.

 

Aqui, vou-me  focar na compra da ração. Sempre a tenho conseguido comprar em promoção. Tal como digo no artigo, compro logo duas embalagens, e quando a segunda está a meio já eu ando a consultar os folhetos de todos os supermercados para ver onde posso comprar.

frieskies.JPG

Como tenho dois gatos, ambos esterilizados, e já que os dois gostam desta - Friskies Esterilizados de peru, fica fácil.

 

E nesta semana, que eu saiba,  a ração está em promoção em dois supermercados, no continente a saca de 3Kg, que fica por €6,29, e no intermaché, a saca de 7,50Kg, que fica por €12,49. A última que eu tinha comprado foi no Pingo Doce, por isso, o que me interessa é pagar menos, passo por quase todos os supermercados, um ou outro tanto faz!

continentepromocat.jpg

 

promocat.JPG

 Com paciência, conseguimos poupar na ração, não concordam?

Qual será, afinal, o objectivo das associações?

Resultado de imagem para associações

 

Pergunto-me eu, que motivos levarão determinadas pessoas a formar uma associação de protecção animal?

E mais, se estarão cientes do que isso implica? Do tempo que é preciso dispender, das despesas que uma associação acarreta? 

De que aquilo que se propõem fazer é, no fundo, trabalho voluntário em prol do bem estar dos animais, tentar ajudar os que mais precisam, muitas vezes salvando vidas, tentar encontrar famílias que os acolham, seja de forma temporária ou definitiva, lutar contra o abandono, sobrepopulação e maus tratos, dentro das suas possibilidades?

 

Pergunto-me se, quando decidem seguir em frente com esse projecto, sabem que não podem estar, exclusivamente, dependentes da ajuda e boa vontade de terceiros, e que todas as acções que levarem a cabo serão, em última análise, da sua inteira responsabilidade?

 

 

É certo que muitas associações, felizmente, podem contar com diversos apoios, quer de entidades locais, quer de particulares apoiantes da causa, e isso vai ajudando a seguir em frente com a missão.

Mas ninguém obrigou estas pessoas a meterem-se nisso. Ninguém as obrigou a ir para as ruas salvar animais, e gastar rios de dinheiro em clínicas veterinárias! Ninguém se comprometeu com elas, e falhou. 

E, por vezes, pedem-nos responsabilidades e "obrigações" que, sendo um bocadinho de todos nós enquanto membros da comunidade/cidadãos, não nos podem ser incutidas da forma como o querem fazer.

 

É isto que me irrita!

Então eu agora ando a alimentar gatinhos de uma colónia, para além dos gatos da minha rua (e até os que têm dono). Todas as semanas compro comida para lhes dar, porque quero, porque assumi esse compromisso e responsabilidade. 

Se pensar em avançar com a esterilização de algum, sei que tenho que ser eu a desenbolsar esse dinheiro. Mesmo que contacte uma associação, é algo que não lhes posso exigir que paguem por mim. Pelo que só o farei se conseguir pagar. 

E, se por acaso, depois de tudo isto, até aparecerem adoptantes para os bichanos, eu vou mandar-lhes à cara que, em virtude de ter gasto não sei quanto dinheiro em ração e água, em esterilizações e/ou vacinações e outras despesas, o mínimo que podem fazer (assim mesmo, com arrogância) é contribuirem financeiramente para pagar tudo o que gastei com o animal que agora levam, para que eu possa ajudar outros animais?

 

Mas eu fiz isto porque quis, ou à espera de recompensa?

 

Por vezes, as pessoas até podem ter toda a razão do mundo mas, a forma que utilizam para justificar os seus pontos de vista, e a forma como dizem as coisas, fá-las perder essa razão. E a credibilidade. E a ajuda que precisavam. 

 

A questão é: as associações, na sua missão de fazer o melhor pelos animais, sem quaisquer outras ajudas de quem de direito, estão dependentes de si mesmas, e das pessoas que vão contribuindo, quer financeiramente, quer através de bens, acolhimento temporário, voluntariado nas instalações ou em campanhas, etc.

É normal que, quem se dirige a uma destas associações e até decide adoptar um animal, tenha consciência, apoie e comprove o trabalho que as mesmas desenvolvem, e por tudo isso queira contribuir, fazendo-se sócio ou dando outro tipo de ajuda, como atrás referi.

Mas daí a sentir-se na obrigação de, só pelo simples facto de que a associação teve uma imensa despesa em cuidar, tratar e alimentar aquele animal, algo que fez por sua livre vontade, isso não!

O facto de se adoptar um animal já significa que, tudo o que a associação gastava com ele, poderá ir para outro que precise. Já deveria ser gratificação suficiente. Mas, ainda assim, poderiam sempre sugerir o eventual apoio, pedir sem exigir.

Só lhes fica mal.

Ao comprar, já está a ajudar a dona e a gata Luna

Há dias partilhei aqui o reencontro inspirador da gatinha Luna com a sua dona Fátima. O reencontro deu-se porque a gatinha foi para ao hospital e tinha chip. Foi parar ao hospital porque tinha uma patinha partida. A operação da patinha ficou muito dispendiosa pra a sua dona, mas mesmo com grande esforço a dona estava a conseguir pagar separadamente as despesas. No entanto, reparem no aconteceu agora, pelas palavras da Fátima na sua página do Facebook:

 

«AGORA, relato um novo acontecimento. A placa que segurava a fratura cedeu, e cedeu porque o osso não criou calo. O sítio onde seguravam 2 parafusos basicamente desfez-se. A Luna está novamente internada e vai ser submetida a cirurgia para AMPUTAÇÃO. Se as despesas já eram grandes agora tornaram-se quase insuportáveis. Estou de mãos e pés atados, estou a vender a minha bimby, por isso se conhecerem alguém que queria comprar por favor avisem-me. Apelei também ao vosso apoio monetário e tive ajudas no valor total de 60€ (que desde já agradeço e deu para pagar a noite extra que lá teve que ficar juntamente com os tratamentos).»

 

Para fazer face ás despesas, a Fátima Lourenço está a vender a sua bimby, que é de 2013 por €350. A Fátima é da zona de Évora. Se alguém tiver interessado, podem ir ao seu facebook e entrar em contacto. Se não, partilhem, por favor.

 

bimbyluna.jpg

O Dickie e o susto que me pregou

 

Bem sei que isto é um blog sobre gatos, mas nem por isso fechado a outros animais. E não podia deixar de vos dar as últimas novidades sobre o Dickie.

Mas, quem é o Dickie?

O Dickie é aquele cão de que já vos falei aqui antes, que costumo ver todos os dias no caminho casa-trabalho.

Pois bem, como sabem, estava muito indecisa sobre o que havia de fazer em relação e este menino e à situação em que estava.

Na semana passada, quando passei por ele de manhã, pareceu-me ver sangue na zona do peito, mas como estava com pressa, deixei para ver melhor quando voltasse à tarde.

À noite, voltei a espreitar e pareceu mesmo ter uma ferida, e um pouco de pele (ou carne) rasgada e pendurada. Mas estava escuro. Podia estar a ver mal.

No dia seguinte, o cão tinha desaparecido! E não voltei a vê-lo mais.

 

 

 

Os outros coninuavam lá no outro quintal, mas do Dickie, nem sinal.

Ontem, quando ia para o trabalho, a senhora que lá mora estava a sair do portão, e eu aproveitei a oportunidade para lhe perguntar o que tinha acontecido.

A senhora explicou-me, então, que ele se tinha ferido no portão (saltou e ficou lá espetado no bico) e teve que ser operado. Não estava ali fora porque está a recuperar da cirurgia.

O Dickie é um cão que está para adopção, não é desta senhora. E teve que o colocar naquele espaço porque os outros cães não o aceitam.

Disse-me também que várias pessoas se queixam das condições em que ela tem os cães, e que a própria GNR já a chamou à atenção, mas é o que pode fazer com as condições que tem. Já morou noutro local, com um terreno grande onde os podia ter em melhores condições, mas neste momento é ali que os pode ter.

 

 

 

 

Não imaginam como fiquei mais descansada!

Parece que está a recuperar bem, mas precisa de uma família que o acolha, que lhe dê amor, e que tenha bastante espaço para que ele possa gastar toda a energia que tem.

Por isso, se souberem de alguém que goste de cães, e queira adoptar este menino, já sabem.

 

 

 

 

Entretanto, o Dickie tem uma conta pendente na clínica APAVET, respeitante à cirurgia, que custou cerca de € 105,00.

Contactei a referida clínica, no sentido de saber como poderiam as pessoas ajudar no pagamento de despesas, uma vez que a senhora menciona no facebook a possibilidade de pagar directamente à clínica. 

A resposta que obtive foi esta:

 

"Bom dia Dª Marta

De facto esse animal esteve na clinica e foi operado, no entanto é meu entender que todas as despesas deverão ser pagas pelos clientes, afim de ser emitida a fatura pelo que proponho, se assim entender, fazer chegar a quem fez o pedido no face o valor que deseja.
 
Com os melhores cumprimentos
 
Rogerio Pereira"
 
 
Sendo assim, quem quiser ou puder ajudar, poderá contactar a responsável pelo Dickie, Mariana Mendes. Deixo-vos aqui o facebook da mesma - Mariana Mendes e a publicação onde pede ajuda para o Dickie - Ajudar o Dickie.