Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Mais um gato famoso (colombiano) que partiu

Na imensidão de gatos famosos com redes sociais, na Colômbia, havia um apelidado de gato Mochileiro, com o nome de Bella Criatura.

O gato era muito famoso nas redes sociais. A página El Gato Mochilero 1 tem 215,3 mil seguidores; o grupo público El Gato Mochilero tem 23,4 mil integrantes.

Por onde passavam (ele e o seu dono), o gatinho chamava a atenção. Não só pela meiguice e pelas poses, mas também por estar sempre com óculos escuros diferentes, assim como usando uma gravatinha ou outro tipo de roupa ou fantasia.

Como o dono e o gato se conheceram? Jhon Galvis, hoje com 39 anos, morava em Barranquilla, na Colômbia. Depois de saber que tinha cancro, sofreu uma deceção amorosa e entrou em depressão.

Mas decidiu deixar o medo e a depressão de lado e decidiu ir viajar. Alguns dias antes, conheceu um gatinho num restaurante. Ele fazia  parte de uma ninhada, mas foi o único que não fugiu quando ele se aproximou. E até se deixou cumprimentar por Jhon.

Deram início a viagens e aventuras. Então,  Jhon com  Bella sobre seu ombro, visitaram a  Colômbia, o Equador e o Peru. Depois da Bolívia, vieram ao Brasil e, no ano passado, antes da pandemia, começaram a percorrer o Paraguai.

A dada altura Jhon já  não tinha mais medo e nem apareceram sinais do cancro. Estava saudável como o gatinho.

Com a pandemia, ficaram por ali  até hoje. E, agora, Jhon tem uma namorada paraguaia, que compartilha com ele o amor pelos bichos.

A chorar Jhon contou a um jornal, que durante a noite de domingo  (15 de agosto) Bella não voltou pra casa. Preocupado, ele passou a noite sem dormir e, nesta segunda, foi procurar o amigo. Mal saiu à rua, viu o corpo de Bella no chão. Foi morto por envenenamento.

O veterinário do Gato Mochileiro, fez análises no corpo do gato, para confirmar se foi mesmo envenenado. Coisa de que ele não duvidava.

Houve até um seguidor que ofereceu uma recompensa a quem soubesse qual o autor do envenenamento.

Realmente é muito triste matarem um animal inocente e deixarem o dono numa tristeza tão grande!

Este artigo foi escrito com base neste site.

c8addcb3-gato-800x445.jpg

elgatomochileiro.jpg

3c77581e-gato4.jpg

Regresso a um passado aparentemente esquecido

ruagatuna.jpg

Na minha rua sempre houve gatos, e os habitantes, na sua maioria sempre os protegeram, dando comida, e até tratando das suas maleitas. Este grupinho da imagem são dos mais novos, e é uma alegria ficar a vê-los brincar e correr da minha janela.

 

Já aqui falei de vários, até já dei nome a alguns. O Alone e a Naná, são os que mais me procuram. São mansos e dóceis, roçam-se nas minhas pernas, deixam fazer festinhas, são uma doçura. O Alone então, todos os dias vem ter comigo, e mais que uma vez por dia. Este conhece as minhas rotinas, melhor que eu.

 

Mas estou triste por saber, que andam a colocar veneno na comida deles. Aqui há uns trinta anos atrás, eu era uma miúda que vivia numa aldeia. Lá as pessoas tinham animais de criação, e os gatos muitas vezes, no seu instinto de caçadores, iam ás capoeiras onde havia galinhas e   pintainhos e não os tratavam bem... Nessa época os donos dos animais de criação colocam armadilhas e venenos para afastarem gatos e cães. Num desses dias vi o meu gato morrer à minha frente a espumar pela boca, foi a minha mãe que me disse que tinha sido envenenado. Nesse dia eu chorei tanto, que os vizinhos vieram a minha casa ver o que se passava.

 

Julguei que estas atitudes, já faziam parte do passado, da mentalidade tacanha de algumas pessoas e do meio rural em que vivíamos. Nunca pensei que pudesse acontecer algo semelhante num meio urbano, e em pleno século XXI. Que mal fazem estas criaturinhas? A quem elas incomodam?

 

Mas não se esqueçam que esta atitude agora é crime, há multas, há julgamentos (nem que sejam da população). Basta haver provas e isso também se pode arranjar!

Sabiam que os lírios podem ser mortais para os gatos?

 

Um dos motivos que mais leva os animais às urgências veterinárias são as intoxicações.

Hoje, vou falar-vos do perigo que representam os lírios para os gatos.

 

Talvez não saibam, como eu não sabia, que os lírios são altamente tóxicos e até mortais para os nosso bichanos, mas a verdade é que todas as partes dos lírios, quando ingeridas, são tóxicas para os gatos. Aliás, basta que lambam pólen que tenha passado para o pêlo, para que o envenenamento aconteça.

A ingestão de lírios, ainda que em pequeníssimas quantidades, pode levar os gatos a sofrer uma grave falência renal que, em último caso, pode conduzir à morte, num curto espaço de tempo.

 

 

Slide4.JPG

 

 

Os sintomas podem ocorrer entre 1 a 3 horas após a ingestão, e caracterizam-se por:

  • vómitos
  • diarreia
  • aumento da produção de urina
  • aumento da ingestão de água
  • sinais neurológicos
  • depressão

 

No entanto, se souberem, ou desconfiarem, que o vosso gato mastigou, lambeu ou engoliu alguma parte de lírios, não esperem pelos sintomas de intoxicação. Levem-no imediatamente ao veterinário, antes que seja tarde demais.

Já aconteceu aqui no hospital veterinário um caso de um gato que vinha com uma insuficiência renal em estado tão avançado, que não foi possível salvá-lo.

 

Prevenir é a melhor forma de manter os felinos a salvo. Por isso, quem tenha lírios nos seus jardins, ou em arranjos florais em casa, é melhor manter os gatos afastados, ou até mesmo retirar estas flores do alcance dos gatos, porque as consequências podem ser fatais.