Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Corte na orelha dos gatos para sinalização: sim ou não?

Resultado de imagem para corte na orelha do gato

 

Há muitos anos que o conhecido "corte" na orelha dos gatos é efectuado para sinalizar aqueles que foram abrangidos pelo programa CED, e já se encontram esterilizados/ castrados.

Sabemos que o corte é indolor. Que é feito durante a cirurgia, sob efeito de anestesia.

E que é uma forma de os proteger de novas intervenções cirúrgicas desnecessárias, por não se saber se a elas já teriam sido submetidos, não apresentando qualquer marca identificativa.

 

 

Mas, é mesmo necessário fazer isso? 

Numa era tão virada para as novas tecnologias, não existem outras opções que não passem pela mutilação da orelha dos gatos, por mera questão de sinalização?

 

 

Por outro lado, já têm surgido nas associações, ou sido capturadas algumas gatas que, por apresentarem o referido corte, se supunha que estariam esterilizadas e, afinal, deram à luz.

Por vezes, os gatos apreentam esses cortes por outros motivos, que não relacionados com o programa CED, e acaba por não ser um meio muito eficaz de sinalização.

 

 

Quem por aí é contra ou a favor deste método?

Seria o microchip, uma opção mais viável? Ou igualmente violadora do corpo do animal?

Que outras soluções poderiam ser colocadas em prática, que não implicassem a mutilação do animal?

 

 

 

 

 

 

 

Chegou o verão!

Resultado de imagem para é verão

Por isso, sempre que estiver calor, mantenham os vossos gatos frescos!

 

 

Resultado de imagem para é verão

É tempo de os humanos aproveitarem as férias mas, lembrem-se, os vossos gatos também precisam de companhia e brincadeira!

 

 

Resultado de imagem para é verão

Sem esquecer o merecido e habitual descanso diário, essencial para recarregar baterias. 

 

 

Resultado de imagem para gato na praia

De preferência, mantenham-nos à sombra, sobretudo se tiverem pelo claro. Na dúvida, aplicar protector solar!

 

 

Imagem relacionada

E tenham sempre água à disposição dos vossos bichanos, de preferência, fresquinha.

 

 

É mesmo preciso desparasitar o meu gato?

Resultado de imagem para desparasitação gatos

 

Por vezes, os donos colocam esta questão.

Sobretudo, se os gatos estão sempre em casa, e sem contacto com outros animais.

É que desparasitar, tanto interna, como externamente, já começa a sair um pouco dispendioso e, se se puder evitar essa despesa, melhor.

 

 

Mas a verdade é que devemos sempre fazer a desparasitação interna e externa, seja em que circunstâncias for.

Porquê?

Porque, até mesmo nós, enquanto donos, podemos trazer os parasitas para casa e, se os nossos gatos não estiverem desparasitados, vão ser contaminados enquanto que, se tivessemos apostado na prevenção, estariam protegidos.

 

Depois, não só acabamos por ter que gastar o dinheiro que tentámos poupar, como podemos vir a ter gastos ainda maiores, se o gato tiver que fazer tratamento para acabar com a infestação que o atingiu, e que o deixou doente.

 

O ditado é bem antigo "mais vale prevenir, do que remediar", e no que se refere à desparasitação nos animais, aplica-se na perfeição, sem excepções!

O chip nos gatos vai ser obrigatório

cat_capa-720x426[1].jpg

O Ministério da Agricultura tem um projeto de decreto-lei que vai exigir que todos os gatos passem a ter um chip de identificação até 2021.

 

Por acaso mandei por o chip nos meus em 2018, porque não queria levar os dois de férias e algum se perder. Tomei esta decisão, porque na altura, tinha dado nas noticias num pais qualquer,  uns donos que tinham perdido a sua gata nas férias, e que a mesma tinha sido encontrada e através do chip, chegaram aos donos.

 

Sei que nas associações, já entregam os gatos chipados aos adoptantes. Até li numa associação comentários de adoptantes que achavam que o microchip nos gatos, os tornavam menos criaturas de Deus! Que disparate!

 

Cada microchip contém um código exclusivo de 15 dígitos com as informações de contacto do dono que é armazenado numa base de dados nacional. A leitura do chip revela os detalhes do gato e o nome, morada e informações de contacto do dono, permitindo localizar e recuperar rapidamente o animal.

 

È um procedimento simples, rápido, indolor para eles!

 

Imaginem por exemplo que querem dar um gato que está em vosso nome a outra pessoa, basta contactar a base de dados do microchip e preencher os formulários relevantes para assegurar que as informações do novo dono são associadas aos detalhes do microchip do animal.

 

Também julgo que seja uma medida contra o abandono, assim os donos têm mais responsabilidade.

 

Em suma , são mais os pontos positivos…

É verdade que amamos mais um gato do que outro?

 

Esta questão não se coloca para os donos de um único gato, mas para aqueles que, como nós, têm mais que um gato na família.

Será mesmo verdade que, quando temos mais que um gato, o nosso amor por eles não é sentido de igual forma? Ou não passa de um mito?

 

 

Eu não falaria em amor, mas sim em afinidade.

Muitas vezes, o meu marido pergunta-me, em jeito de afirmação, se eu amo mais a Amora do que a Becas.

E eu respondo-lhe que amo as duas das mesma forma.

"Ah e tal, mas com a Amora tens aquela ligação...".

Sim, a Amora é aquela gata que quer colo, atenção, mimos, que reclama, que exige, que está sempre ali à espera, doce e meiga até mais não, que adora festas e turras, que passava assim o dia todo, se tivessemos tempo para isso.

É descarada e atrevida: tantas vezes que me apanha distraída e me salta para as pernas e para o rabo ou, se estou sentada, salta-me para as costas, a desafiar para a brincadeira.

Por isso, sim, quer pela exigência dela, quer pela relação que tem comigo, há uma afinidade e um maior tempo dispendido com ela.

Mas nem por isso deixo de amar a Becas da mesma forma. Apenas não há tanta afinidade, até porque a Amora lhe rouba a atenção, e porque nem sempre está disposta a receber os nossos mimos. É preciso saber lidar com ela, até porque ela pouco se manifesta, preferindo que a iniciativa parta de nós.

E, por outro lado, ela tem uma maior afinidade com a minha filha e o meu marido. Se bem que, várias vezes, quando me sentei na sala, acabaram por ir as duas dormir no meu colo, ou encostadas a mim, fazendo-me parecer a mãe dos gatos!

É nesses momentos, e naqueles em que, quer uma, quer outra, estão a confiar plenamente em mim, a sentir-se seguras, ou a precisar de mim, que compreendo que o amor não faz distinções entre ambas!

 

E por aí, qual é a vossa opinião?

Os gatos é que mandam em nós!

Imagem relacionada

 

Sábado de manhã, como costume, levantei-me perto das 6h da manhã para pôr ração nos comedouros, e voltei para a cama. Uns minutos depois, levantei-me novamente, para pôr a Amora à janela. Voltei para a cama.

 

Entretanto, o meu marido levanta-se, porque ia trabalhar nessa manhã, e eu pensei "boa, com ele de pé, posso dormir um pouco mais".

Pensei mal!

Às 8h em ponto, tinha a Amora a miar do meu lado da cama, e a dar cabeçadas na madeira, a chamar-me para eu me levantar.

À primeira, ignorei.

À segunda, já não deu. Tive mesmo que me levantar.

Ela é que manda, afinal, é a patroa lá de casa! 

E ai de quem não lhe obedeça :) 

Morreu um dos gatos mais famosos da internet

1558087739_432602_1558103785_noticia_normal[1].jpg

Cheguei a fazer um post sobre esta gatinha, aqui no clube. Tinha imensas coisas relacionadas com ela, redes sociais (que eu seguia e adorava), causas, roupas e calçado, com a sua carinha rabugenta, mas engraçada! No entanto,  apesar de Tardar Sauce (nome dela) ter recebido os cuidados dos melhores profissionais de saúde veterinária,  não resistiu às "complicações de uma infecção recente do trato urinário.

 

Certamente tinha a melhor alimentação, os melhores cuidados, e mesmo assim, não resistiu. Não deve ter sido por falta de dinheiro para os tratamentos. Temos mesmo de andar atentos aos nossos bichanos, que estando esterilizados, correm o risco de ter algum problema a nível urinário, como teve o meu Rafael.

 

De qualquer forma o Grumpy Cat nunca será esquecido!

 

  • Blogs Portugal