Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

O Riscas e a sua tendência para fazer xixi fora da caixa

Quando falei do problema à veterinária, ela  observou-o  ouviu-me contar os sítios e as ocasiões que ele o faz, e disse-me que seria um problema comportamental e não de saúde.

Apesar de ele nunca ter tido uma infeção urinaria e de eu conhecer e saber identificar quando isso acontece porque o Rafael , já teve duas, não tenho absoluta certeza que seja só um problema comportamental.

Ainda assim, fiz a minha pesquisa por vários sites para tentar compreender e melhor poder ajudar o bichano. E, se alguém tiver alguma dica ou experiência que possa aqui deixar, agradeço.

O Riscas, é um gatinho castrado, meigo, doce, mas também ciumento, e antes da chegada do Rafael tinha, de vez em quando, e do nada, o hábito de me atacar, fosse  nas minha pernas ou nos meus braços, talvez para pedir atenção. Com a chegada do Rafael esses episódios foram deixando de acontecer.

No entanto, veio este hábito de fazer xixi fora da caixa, que começou depois de já estarem juntos há mais de um ano.

Sendo um problema comportamental, ou seja, stresse, algumas vezes conseguimos encontrar coerência, porque houve realmente alguma mudança na nossa rotina. Isto porque, segundo as minhas pesquisas e segundo a própria veterinária são as alterações que o deixam stressado, ansioso.

  • Encontrar a fonte de stresse do gato.
  • Procurar sinais de gatos de rua á espreita do lado de fora da janela, ou fezes de pássaros  na varanda.
  • A presença de um gato estranho pode estar a ameaçar a autoridade dele. É facto que eu alimento gatos de rua.
  • Averiguar se o outro gato da casa (o Rafael) pode estar a provocar este.

Examinar o ambiente onde o bichano vive:

Algo que os humanos não costumam considerar quando o gato passa a urinar fora da caixa de areia é o barulho do exterior.Devido ao apurado sentido de audição, o gato é bastante sensível a barulhos vindos do interior ou exterior da casa.Obras na rua ou no apartamento ou na casa do lado podem colocar o gato em estresse. Talvez possa ser, porque num apartamento há sempre barulhos...

Outras observações:

  • não entrou ninguém para a família,
  • ninguém se ausentou,
  • não mudamos moveis de lugar,
  • não mudamos o lugar dos recipientes da comida ou água,
  • não mudei a marca da areia,
  • não mudei a ração.
  • Já me aconselharam a arranjar oura caixa de areia, mas eu não tenho mesmo espaço.

No entanto, a minha máquina de lavar a roupa avariou, andamos a tentar arranjar, fiquei com a cozinha cheia de água, vieram cá dois técnicos. Este entre e sai, deve de o ter deixado stressado! Mas já passaram mais de 15 dias e ele continua a fazer quase todos os dias.

Também é aconselhável manter o gato ativo. Fazer uma programação com ele  com brinquedos, mantê-lo ocupado, fazê-lo correr, brincar interagir. Com isto ele pode se sentir amado. Confesso que não tenho feito muito isso, mas vou fazer, vou brincar mais com ele.

Os donos devem de se manter positivos, por mais irritante que seja limpar o xixi e remover aquele odor horrível. No nosso caso como o Riscas tem tendência para escolher sapatos, a maioria vai parar ao lixo porque o cheiro não sai de forma alguma.  Aconselham também se  limpe a área com um produto próprio para isso e incentivá-lo a brincar, dormir ou até a se alimentar-se lá ,  isso ajudará o gato a associar essa área com brincadeiras ou relaxamento, em vez de ansiedade.

Também é aconselhável que se use sprays ou difusores projetados para acalmar os gatos . É uma hipótese que não descarto.

Também não é aconselhável ter a caixa da areia perto da comida, nesse caso, estou descansada.

Estudos internacionais mostram que as principais justificativas para o abandono dos felinos são:

Problemas na interação com outros animais, agressão contra pessoas, comportamento destrutivo, mas o grande campeão é o xixi no sítio errado.

Mas, essa opção para mim, para nós, está fora de questão, o que eu quero é ajudá-lo é resolver o problema dele, porque acredito que ele sofra, acredito que ele não esteja feliz com a situação. Além de  querer manter a minha casa limpa e sem este cheiro, quero acima de tudo, que ele se sinta bem, feliz equilibrado, amado!

Cuidar sim, abandonar nunca!

IMG_20210223_083752_265.jpg

A princesa e os caval(h)eiros

180588277_3860580714057205_5665473102410439938_n.j

 

A ET, farta de ter os machos atrás dela, achou que a melhor forma de se livrar deles era enfiar-se dentro do fogareiro.

 

O Pantera, esperto, acabou por subir para cima da caixa e, ainda que sem incomodá-la enquanto ela dorme a sesta, está ali ao lado, para o caso de ela precisar de alguma coisa.

Volta e meia, quando ela se espreguiça, ele levanta-se e olha para ela. Depois, volta a deitar-se, ao perceber que ela ainda quer dormir mais!

 

Já o Malhado, coitado, teve que se sujeitar a ficar lá em baixo, de pé, como um escravo.

Também não sai dali.

De vez em quando, põe-se de pé, espreita e tenta dar umas festinhas à donzela mas, mal ela olha para ele ou se mexe, ele recua, e volta à posição inicial.

 

O Pantera, fez uma pausa rápida na vigília porque, afinal, um gato também tem as suas necessidades e a casa de banho mais perto era o canteiro do vizinho de cima. Mas voltou rapidamente ao seu posto.

O Malhado, que está em desvantagem, teve que ir desentorpecer as patas com uma caminhada e umas rondas mas, também ele, voltou à base.

 

E ali passaram várias horas da tarde, até que a ET decidiu que já tinha dormido o suficiente, e era tempo de se pôr ao caminho, para outras paragens! Com os caval(h)eiros atrás, a escoltá-la, como não poderia deixar de ser!

 

os agradecimentos

Acabei de ler o livro  deste mês, do desafio, que dura há quase seis anos, decidi trazer para este blog dos nossos gatos, dois pequenos excertos dos agradecimentos que o autor fez a quem lhe proporcionou fonte histórica para a sua obra, muito envolvente, acreditem, porque escreve sobre o seu animal de estimação, e alerta, no final, para o apoio que de todos nós aos abrigos que cuidam de animais.

Fiquei emocionada, e achei que este é o lugar certo para publicar o que escreveu.

Sem Título.jpg

Livro 1.jpg

 

Em tempos de crise, até os pássaros "miam"!

Autocolantes de gatos e pássaros - TenStickers

 

Depois de uma fase em que a ração para os gatos da rua acabava por se estragar, porque nenhum aparecia por lá ou, até aparecia, mas já vinha de barriga cheia eis que, ultimamente, a ração tem desaparecido em pouco tempo, e até mesmo quando penso que já ninguém vai comer aquilo.

A dúvida é: quem é que a come?

É que já não é a primeira vez que os melros andam por lá a bicar no prato!

E as nossas bichanas, curiosas com o som deles a bicar, põem-se logo à porta, a tentar ver quem por ali anda.

Será que, nestes tempos de crise, até os pássaros miam, e comem ração de gato?!

Os bigodes dos gatos voltam a nascer?

BIGODE-GATO | Prefeitura de Maricá

 

Volta e meia encontro lá por casa, caído no chão ou em cima das mantas, um bigode perdido de alguma das bichanas.

Sempre que isso acontece, apanho e guardo. Já tenho uma boa colecção de bigodes.

Não sei se é por andarem na brincadeira, em guerra, ou se caem naturalmente.

Mas, será que, sempre que um bigode cai, nasce outro no seu lugar?

Será que os bigodes se regeneram?

 

A resposta é sim!

É que, se assim não fosse, e a irem caindo os bigodes, acabavam por ficar sem nenhum.

Tal como todos os pelos, quer sejam do focinho ou de outras partes do corpo, caem de forma natural, nascem e crescem de novo. 

 

E por aí, os vossos felinos também perdem bigodes?!