Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Passatempo de fotografia "Gatos de Rua"

21167388_673053559561782_5133711505921884912_o.jpg

A curiosidade está-lhes nos genes

 

 

 

Descontraídos, assustados, tranquilos, com fome,

divertidos,observadores, com frio, tristes, pensativos,

felizes, suplicantes, gratos, amigáveis, conformados, ameaçadores,

revoltados, pacientes, meigos, ariscos, curiosos...

 

 

 

São várias as emoções, sentimentos e formas de estar, que podemos encontrar num gato que vive nas ruas, seja sozinho, ou inserido numa colónia.

 

 

O Clube de Gatos do Sapo desafia-vos a captar esses momentos, e a participar no nosso passatempo de fotografia "Gatos de Rua".

 

 

 

 

Como participar:

 

Basta enviar uma fotografia de um ou mais gatos de rua, acompanhada de uma pequena frase que a caracterize (conforme exemplo acima), para o email do clube - clubedegatosdosapo@sapo.pt - com o assunto "Passatempo Gatos de Rua", e a vossa identificação, até ao dia 31 de março.

 

De todas as fotografias recebidas, o Clube seleccionará as 5 melhores, que serão posteriormente votadas aqui no blog, e no facebook do clube, durante 5 dias.

 

O(a) autor(a) da fotografia vencedora, que reunir, em conjunto, o maior número de votos e de likes, será premiado(a) com a oferta do livro "Calvin Esparguete - diário de um gato citadino", de Filomena Lança.

 

 

Observações:

 

  • O passatempo apenas terá lugar com um mínimo de 15 fotografias recebidas, que reunam os requisitos (foto e frase).
  • Só será aceite uma participação por autor.
  • As fotografias recebidas poderão vir a fazer parte de uma futura exposição de fotografia.

O respeito é a base de tudo

Gato, Natureza, Animal, Ao Ar Livre, Mamíferos

 

Faz falta que as pessoas aprendam a respeitar os animais.

Que percebam que não são brinquedos que, num dia, queremos muito, e no outro se põem para um canto porque já não têm piada, ou não servem.

Que não são objectos que, quando não queremos mais ou passam de moda, quando estão a ocupar espaço ou a atrapalhar a nossa vida, deixamos aí num sítio qualquer, à espera que alguém lhes pegue, ou os recolha, ou que eles se consigam desenvencilhar sozinhos.

É preciso que as pessoas percebam que os animais têm sentimentos, muitas vezes mais puros e nobres que os humanos.

E não exigem nada que não lhes possamos dar nesta vida. Amor, carinho, cuidados mas, sobretudo, respeito. Porque com ele, acaba por vir tudo o resto.

Os animais preoucupam-se uns com os outros

Neste armário que tenho na cozinha por baixo do lava louça, tenho os detergentes e o balde do lixo. Ontem abri-o para fazer alguma coisa e voltei a fechá-lo. Andava a despachar-me, e vejo o Riscas sentado em frente a ele a olhar muito sério. Continuei a minha vidinha, e depois o Riscas já estava em cima do lava louças com a patinha a tentar abrir a porta. Perguntei : "Mas o que queres tu daí?" Abri a porta e...sai de lá o Rafael!

 

Só depois percebi que aquilo era a preocupação do Riscas por saber que o amigo estava lá preso. E se não é ele, eu se calhar nem me dava conta do bicho lá fechado! Os animais são mesmo incriveis e têm sentimentos tão puros, preocupam-se uns com os outros, são solidários!

 

preocupacaofelinos.jpg

Fiquei de coração partido

É com facilidade que me emociono e quando se trata de situações com animais mais facilmente acontece.

Ontem deparei-me com uma situação que me deixou de coração partido. Ia para o emprego quando vejo dois cães, um de barriga para cima e outro com a cara sobre o peito do outro. A primeira ideia foi que estariam a brincar, mas depois passou-me pela cabeça que poderia estar morto. Devo dizer que aquela é uma rua com vários cães e gatos que creio serem abandonados, embora varias pessoas daquela rua lhes dêem comida e agua. As 8 horas seguintes foram passadas com vários pensamentos sobre os cães. Estava ansiosa para sair e passar por lá e observar que ambos estavam bem.

Assim que cheguei perto e vi alguns carros de colegas tive a certeza que o final não seria como gostaria. Ali estava o cãozito morto e o outro a ladrar feito louco. Acredito que a tentar defender o amigo.

Foi-me impossível não acabar numa choradeira. Ver a imagem da cabeça do cão deitado sobre o outro já morto deixou-me de coração partido.

Ainda há pessoas que dizem que os animais não têm sentimentos...