Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Clube de Gatos do Sapo

Este blog pertence a todos os gatos que andam aqui pela plataforma do Sapo, e que pretendem contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar experiências e conhecimentos, e dar-vos a conhecer o mundo dos felinos!

Dois gatos = três WC's!?

doismaismextra.jpg

Quando fui com o Rafael a uma clínica, a veterinária, disse-me que deveria ser assim:  se tenho dois gatos, o ideal seria ter  três WC's. Mas já disse aqui, tenho apenas um WC grande para os meus dois felinos.

Gasto muita areia, é um facto! Ando sempre a limpar e a tirar os xixis e os cocós, mas tivesse de ter 3 ou 2 WC's, teria ainda mais trabalho e gastos, julgo eu, ou não!? Também tenho falta de espaço, de um lugar para colocar outro WC.

No entanto, talvez ajudasse a que o Riscas não fizesse xixi fora da caixa, quando está stressado!

Gostaria de ter opiniões a respeito, para ver se estou assim tão errada!

Dar beijinhos aos gatos: sim ou não?

Imagem relacionada

 

 

Dar beijinhos às minhas gatas é algo que faço com frequência, ao longo do dia, lá por casa. A minha filha e o meu marido fazem o mesmo. É algo natural, espontâneo.

As nossas gatas são família, são amorosas, são fofinhas e, simplesmente, não resistimos! Se pudéssemos, e elas não se aborrecessem com isso, andávamos sempre a dar-lhes beijinhos. E a verdade é que, se forem moderados, elas até gostam e, à sua maneira, retribuem.

Por vezes, alguém que nos visita comenta, em tom de crítica: “estás sempre a dar beijos às gatas”.

Algumas pessoas, vão mais longe, e condenam mesmo esta atitude porque, dizem elas, dar beijos aos animais é prejudicial à saúde.

Será mito? Será verdade? Terão estas afirmações algum fundamento?

O certo é que, em todos estes anos, nunca senti que a minha saúde fosse prejudicada pelos beijos que dou às bichanas. Pelo contrário.

A nível psicológico, sinto-me sempre muito mais relaxada, animada, feliz, por poder mimar as felinas.

E não vou deixar de o fazer!

 

Artigo escrito para o site da Miau Magazine.

 

Porque é que as mães gatas rejeitam as suas crias?

Imagem relacionada

 

Todos nós sabemos que, por norma, as mães gatas têm um amor incondicional pelos seus filhotes, e cuidam deles, e até muitas vezes, de outros gatinhos órfãos, com todas as suas garras.

Mas nem sempre isso acontece e uma mãe gata pode, por vezes, rejeitar uma das suas crias, sem que percebamos porquê, condenando-a como uma má mãe.

Há pouco tempo, vi uma publicação sobre uma mãe gata que tinha abandonado a cria com alguns dias, tendo a mesma sido recolhida em FAT, para a tentar salvar. Faleceu um ou dois dias depois. Se isso aconteceu por ter sido abandonada pela mãe, ou porque tinha algum problema, não se sabe. Sabe-se que não resistiu, que o seu organismo não foi capaz de lutar pela vida.

 

A questão que me ficou na mente foi o que levará uma mãe gata a rejeitar um filho?

 

Existem algumas teorias, entre as quais as que vos deixo aqui:

 

1 - Sendo o instinto de sobrevivência o mais importante para os animais, incluindo para os felinos, a mãe serve-se dele para detectar se algum dos filhotes, ou toda a ninhada completo, nasceu com alguma infecção ou doença. Quando isto ocorre, a mãe nega-se a desperdiçar cuidados e leite com alguém que pensa que não vai sobreviver, ou afasta-o dos outros para evitar contagiar a ninhada saudável, bem como para gerir o seu leite apenas para os filhotes que têm mais hipótese de sobreviver. Isto também pode ocorrer quando são ninhadas muito grandes, e a mãe percebe que não pode alimentar e cuidar de todos, ocupando-se dos mais fortes, em detrimento dos restantes.

 

2 - Da mesma forma, se a mãe gata estiver doente, por complicações com o parto, ou outro problema, ou pressinta que vai morrer, também se afasta dos filhotes para não os contagiar.

 

3 - A mãe gata pode, tal como as mães humanas, não saber cuidar dos filhotes - alimentar e limpar - optando por abandoná-los.

 

4 - Stress, local pouco cómodo onde se encontra com os filhotes após o parto, demasiadas carícias por parte dos humanos, e outros factores, podem levar a que a mãe gata decida não cuidar dos filhos. 

Os gatos são "petiscadores"

Sempre ouvi dizer, que os gatos são diferentes dos cães em relação às refeições. Enquanto que os cães têm, mais ou menos,  as mesmas refeições que nós humanos, por exemplo,  pequeno almoço, almoço, lanche e jantar; os gatos andam sempre a petiscar, por isso, convém terem sempre comidinha no prato.

 

No site da Royal Canin, eles dizem que um gato pode fazer até 20 refeições diárias.

Gatos-petiscadores.JPG

Mas encontrei numa página do Brasil, uma opinião,  em que o gato pode fazer até 36 refeições diárias...

36refeicoes.jpg

Se calhar, se for um gato de rua esfomeado, ao ver a comida, come-a toda de uma só refeição...

 

Qualquer dia ainda me ponho a anotar cada vez que o Riscas vai ao seu prato comer... E as vezes que ele só lá vai cheirar e não come...será que também conta!?